Crianças que nascem em maiores altitudes tendem a ser mais baixas e te explicamos o motivo

Segundo pesquisa da Universidade de Addis Ababa, na Etiópia, crianças que vivem em maiores altitudes pela falta de oxigênio no sangue podem crescer menos

Resumo da Notícia

  • A Universidade de Addis Ababa, na Etiópia fez estudo e chegou a conclusão de que crianças nascidas em altas altitudes tendem a crescer menos
  • O principal motivo foi de que a altitude contribui para a hipóxia, ou seja, volume baixo de oxigênio no sangue
  • O estudo contou com informações de crescimento de 964 mil crianças

Segundo estudo realizado na Universidade de Addis Ababa, crianças que nascem em maiores altitudes e vivem sobre baixa pressão atmosférica têm a tendência de ficarem menores. Isso porque essas condições ambientais contribuem para a hipóxia, ou seja, pouco oxigênio na circulação sanguínea.

-Publicidade-

A pesquisa contou com 964 mil crianças, segundo a UOL, com bom acesso a um sistema de saúde bom e com sistema educacional de qualidade. Analisando a partir desses dados os estudantes perceberam que quanto maior a altitude onde a criança vivia menor era a própria estatura, desde o nascimento aos 5 anos de idade.

Em altitudes maiores crianças tendem a crescer menos (Foto: Getty Images)

A diferença de tamanho começou a ser significante a partir dos 500 metros de altitude, quando ela chega a 1500 metros, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a diferença de tamanho pode chegar a 1 centímetro. “É um estudo importante pelo número de crianças analisadas. É relevante para um grupo, já que mostra a prevalência desses casos. Contudo, individualmente a diferença é mínima, já que ela é só de 1 centímetro”, agregou endocrinologista, Alexander Jorge.

-Publicidade-

Os médicos alertaram também os riscos que o crescimento mais lento devido à hipóxia pode trazer, incluindo doenças cognitivas e metabólicas. Os dados da pesquisa também serão utilizados para mudanças de protocolo em acompanhamento de grávidas em lugares que a altitude chega a 1500 metros, como é o caso em algumas regiões de São Paulo, como Campos de Jordão, que chega aos 1628 metros.

E a genética?

Apesar de fatores externos também afetarem, mesmo que minimamente, o tamanho das crianças, de acordo com Alexander, em gestações sem nenhum problema, 80% do desenvolvimento do bebê é feito pela genética.

App Pais&Filhos

Tem novidade na área: o novo aplicativo Pais&Filhos Interativo! Agora você pode ler conteúdos exclusivos, feitos com muito carinho pela equipe da redação da Pais&Filhos com toda a credibilidade, comprometimento e bom humor de sempre, e ainda testar seus conhecimentos sobre os principais assuntos do universo da parentalidade.

Já que ninguém cria filho sozinho, a Pais&Filhos se enxerga como parte da sua rede de apoio e para isso, disponibilizamos no aplicativo informações de qualidade sobre todas as fases da vida da criança, seja você pai ou mãe, grávida, ou até mesmo se você ainda for tentante.

Além disso, a plataforma ainda oferece quizz de perguntas e respostas para você testar seus conhecimentos sobre os mais diversos assuntos deste universo. Ao fazer o teste, você acumula pontos, e de quebra pode trocar por prêmios.

O Pais&Filhos interativo está disponível para iOS e Android, basta acessar a PlayStore ou a Apple Store direto do seu celular, baixar e fazer seu cadastro

-Publicidade-