Crianças tiveram mais dificuldade em aprender matemática na pandemia: veja como ajudar seu filho

A informação veio de uma pesquisa feita pelo Centro de Aprendizagem em Avaliação e Resultados para o Brasil e a África Lusófona (FGV EESP Clear)

Resumo da Notícia

  • Crianças tiveram mais dificuldade em aprender matemática na pandemia, diz pesquisa
  • A informação veio de uma pesquisa feita pelo Centro de Aprendizagem em Avaliação e Resultados para o Brasil e a África Lusófona (FGV EESP Clear)
  • É importante ficar atento para conseguir ajudar seu filho com a matéria

A chegada da pandemia e, consequentemente, das aulas online, acabou prejudicando muitas crianças, que tiveram múltiplas dificuldades para aprender dessa forma remota. Pesquisas apontam que o português e a matemática foram as matérias que as crianças notaram mais perdas durante esse período de aulas online. Entre as duas que mais sofreram com a vinda da pandemia, existe uma campeã: segundo um estudo do Centro de Aprendizagem em Avaliação e Resultados para o Brasil e a África Lusófona (FGV EESP Clear), os alunos deixaram de aprender mais em matemática em comparação com língua portuguesa e, na maioria dos casos, os mais prejudicados são aqueles do Ensino Fundamental.

-Publicidade-
A matemática foi a matéria mais prejudicada com a pandemia, aponta pesquisa (Foto: Getty Images)

Javier Arroyo, co-fundador da Smartick a lado de Daniel de Vega, método para aprendizado de matemática online, acredita que isso aconteceu devido à necessidade prática que vem junto da matemática. “A matemática requer um alto grau de prática profunda, orientação na compreensão dos conceitos e concentração para compreender totalmente esses conceitos. Infelizmente, o lockdown trouxe certo caos, pois os professores não conseguiam explicar os conceitos por meio das videochamadas como fariam pessoalmente. Com isso, os pais tiveram que apoiar as crianças nas atividades matemáticas diárias”, explica ele.

A necessidade dos pais ajudarem com as matérias da escola veio como nunca durante a pandemia e Javier acredita que existem maneiras para que os familiares ajudem os filhos no ensino. O profissional destaca a importância das famílias encontrarem os meios adequados para conseguir ajudar os filhos nessa caminhada. Pensando nisso, ele se juntou a outros profissionais para criar a Smartick, um método online de aprendizagem de matemática para crianças entre 4 a 14 anos, focado em ajudá-las com a matéria para conseguir voltar a acompanhar a turma nas aulas presenciais.

O método conta com exercícios gerados em tempo real, de acordo com uma série de variáveis que são analisadas continuamente. A ideia é que a criança pratique as atividades por apenas 15 minutos todos os dias. O método fornece feedback imediato com a solução do exercício, permitindo que os alunos aprendam com os erros e apliquem os novos conhecimentos no próximo exercício.

“Em matemática, assim como em qualquer outra disciplina, a prática diária é fundamental para maximizar o processo de aprendizagem. É melhor praticar todos os dias 15 minutos, 7 dias por semana, ao invés de 1 hora e 15 minutos, em apenas 1 dia por semana”, aponta ele.

Javier também explica que a escolha dos 15 minutos veio porque esse é o tempo de concentração máxima. “Conseguimos manter a atenção da criança na concentração máxima, o que os psicólogos chamam de estado de fluxo, o que significa que ela está absolutamente focada no que está fazendo. Eles gostam do desafio e se sentem confiantes porque o nível de dificuldade é desafiador, mas também é algo que eles sabem que podem alcançar”, aponta. O método existe em vários lugares do mundo, como: Estados Unidos, México, Peru, Colômbia, Chile, Espanha, Reino Unido e África do Sul e, claro, no Brasil.

Dicas para ajudar seu filho com o aprendizado da matemática

Javier Arroyo preparou algumas dicas para que você consiga ajudar seu filho com a matéria de uma forma fácil e divertida. Confira:

  • 1 – Incentive-os a jogar jogos relacionados à matemática. Qualquer jogo que tenha dados ajudará as crianças a apreciar a matemática e a desenvolver o senso numérico.
  • 2 – Sempre apoie seus filhos quando estiverem resolvendo problemas de matemática e não diga que estão errados. Por exemplo, se seu filho multiplica 4 × 3 e acha que o resultado é 7, em vez de dizer a ele que está errado diga: ‘Eu entendo o que você está pensando, você está usando o que já sabe sobre adição e, portanto, o resultado dá 7, mas quando nos multiplicamos temos 4 grupos de 3 unidades cada’.
  • 3 – Não é essencial associar matemática com velocidade nas primeiras etapas. Essa é a melhor maneira de causar ansiedade. Embora o objetivo de médio e longo prazo seja conseguir agilidade, não fique nervoso se eles demorarem no início.
  • 4 – Nunca diga que não foi bom em matemática na escola ou que não gosta, principalmente se você for mãe. Quando as mães compartilham essa ideia com suas filhas, constata-se que suas notas caem.
  • 5 – Incentive-os a ter uma noção dos números, a ter uma ideia sobre o tamanho dos números e como combiná-los de maneira flexível. Isso é o que diferencia os alunos que estão indo bem em matemática daqueles que estão indo mal. Por exemplo, para adicionar 29 + 56 é mais fácil mover 1 de 56 para 29 e adicionar 30 + 55. Essa flexibilidade na manipulação de números é chamada de sentido de número e é muito importante.
  • 6 – O mais importante de tudo é ter uma mentalidade construtiva, estar ciente de que tem um potencial ilimitado e que o sucesso na matemática exige esforço e trabalho. Os alunos com uma mentalidade construtiva se saem muito melhor na escola e na vida em geral.