Fake news! Não é verdade que cuba tem enviado medicamento contra o coronavírus para a China

A informação dizia que IFNrec era produzido desde 25 de janeiro na fábrica chinesa Chang-Heber, cubana, localizada na cidade de Changchun, província de Jilin, na China. Além do vírus, afirmavam que ele era usado contra infecções virais causadas pelo HIV

Resumo da Notícia

  • Cuba está a frente da produção de medicamento contra coronavírus
  • Medicamento teoricamente curou 1.500 pessoas
  • A medicação é produzida em uma fábrica cubana localizada na China
(Foto: Getty Images)

É fake news que Miguel Díaz-Canel, presidente de Cuba, comemorou em sua conta no Twitter o dia anterior ao uso do medicamento cubano que, segundo o post, era produzido desde 25 de janeiro na fábrica cubana Chang-Heber, localizada na cidade de Changchun, província de Jilin, na China.

-Publicidade-

De acordo com a publicação, até agora dizia-se que o medicamento conseguiu curar mais de 1.500 pacientes e é um dos 30 medicamentos escolhidos pela Comissão Nacional de Saúde da China para curar a condição respiratória, mas não é verdade!

A nota também dizia que o medicamento IFNrec também era aplicado contra infecções virais causadas pelo HIV, papilomatose respiratória, condiloma acumulado e hepatite tipos B e C, além de terapias contra vários tipos de câncer.

-Publicidade-
  • Coronavírus: como prevenir sua família

Os coronavírus são uma família de vírus conhecida há mais de 50 anos. Tem este nome porque parece uma coroa, se visto no microscópio. Algumas cepas infectam seres humanos, outras infectam somente animais. O novo vírus (2019-nCoV) provavelmente é uma mutação que não atingia humanos e, nos últimos meses, passou de um animal para uma pessoa em um mercado de frutos do mar e animais vivos na cidade de Wuhan, na China. Para se prevenir, a recomendação do Ministério da Saúde é a mesma feita para a prevenção de infecções respiratórias agudas. São elas:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • lavar as mãos com frequência, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-