De acordo com Ministério da Saúde, Brasil tem dois casos suspeitos de varíola dos macacos

O Ministério da Saúde informou que há dois casos suspeitos da varíola dos macacos no Brasil, sendo ele no Ceará e em Santa Catarina. Ainda há um terceiro em investigação no Rio Grande do Sul

Resumo da Notícia

  • O Ministério da Saúde informou que Brasil tem dois casos suspeitos de varíola dos macacos
  • Os casos suspeitos encontram-se no Ceará e em Santa Catarina
  • Ainda há um terceiro em investigação no Rio Grande do Sul

Durante esta segunda-feira, 30 de maio, o Ministério da Saúde informou que foi notificado sobre dois casos suspeitos de varíola dos macacos no Brasil. Um caso está no Ceará e outro, em Santa Catarina. Um terceiro que também pode ser suspeito, está sendo monitorado no estado do Rio Grande do  Sul.

-Publicidade-

De acordo com a pasta, os pacientes “seguem isolados e em recuperação, sendo monitorados pelas equipes de vigilância em saúde. A investigação dos casos está em andamento e será feita coleta para análise laboratorial”.

Em relação à suspeita do caso no Rio Grande do Sul, o Ministério da Saúde informou: “A reavaliação está sendo feita de acordo com os critérios de definição. Até o momento, não há confirmação do rumor como caso suspeito”.

Varíola dos macacos: OMS confirma 257 casos em 20 países fora da África
Varíola dos macacos: OMS confirma 257 casos em 20 países fora da África (Foto: Getty Images)

Além disso, a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, afirmou que está sob investigação do “indivíduo com história de viagem”. Mas reforçou que o caso ainda em discussão com o Ministério da Saúde. Visto que, segundo órgão estadual, “a pessoa tem outro diagnóstico confirmado. Isso a princípio descartaria o caso. Então, não temos a definição se vai entrar como caso suspeito, pois ainda está em investigação”.

Quais são os sintomas da varíola do macaco?

Os sintomas dessa nova variante do vírus são bem parecidos com aqueles apresentados anteriormente, com a “tradicional” varíola bovina. “Os casos são semelhantes aos que aconteciam anteriormente, nas varíolas anteriores, que são as placas pelo corpo. Essas placas aparecem em formato de bolhas”, começa o médico, explicando.

Além das placas, é comum surgirem também os clássicos sintomas virais, como febre, dores nas costas ou musculares, inflamações nos nódulos linfáticos, calafrios e exaustão. O Dr. Filipe Prohaska, infectologista da Oncoclínicas, pai de Letícia e Luisa, apontou a importância de um acompanhamento médico logo no começo dos sintomas, principalmente pelo caráter cicatricial da doença: ou seja, se não tratada corretamente, essas “bolhas” no corpo podem se transformar em futuras cicatrizes e marcas na pele. “Tem uma questão de lesão cicatricial muito grande. Então você tem essa necessidade de fazer um acompanhamento e ter muito cuidado com essas lesões para não ter essas sequelas”, reforça.

Como a varíola do macaco é transmitida?

“Essa doença é altamente contagiosa. Ela tem uma mortalidade baixa, mas morbidade elevada, justamente por essa questão das lesões que podem ficar no corpo”, explica o infectologista. A transmissão pode acontecer pelo simples contato com uma pessoa infectada, principalmente no período em que os sintomas estão evidentes. “A transmissão é muito alta e fácil de acontecer. Não é atoa que vários países já vêm mostrando casos sugestivos dessa variação da varíola”, ressalta. Leia aqui a matéria na íntegra.