Depoimento do motorista de Rodrigo Mussi à polícia apresenta contradições

Segundo colunista, há divergências em relação ao horário que o Rodrigo Mussi entrou no carro de aplicativo, e ao horário que o motorista informou à polícia

Resumo da Notícia

  • Os familiares de Rodrigo Mussi alegam divergências no caso do acidente de carro do ex-bbb
  • O rapaz entrou no carro de aplicativo por volta de 3h da madrugada, porém, o motorista informa que foi por volta de 1h20
  • Os depoimentos entraram em conflito

Segundo a coluna LeoDia ao jornal Metrópoles, os depoimentos do Kaique Reis (24), motorista de aplicativo que dirigia o veículo que o Rodrigo Mussi estava, é cercado de contradições. O jornal teve acesso ao boletim de ocorrência registrado na 14ª Delegacia de Polícia (Pinheiros), logo em seguida do acidente, ocorrido na última quinta-feira, 31 de março.

-Publicidade-

À polícia, o Kaique disse que possa ter dormido no volante e só acordou quando o airbag já tinha sido acionado. Até o momento, esta é a versão aceita. No entanto, há contradições que ainda não foram esclarecidas. Segundo os familiares de Rodrigo, eles não entendem como foi a logística de horários. Visto que, o Kaique falou que aceitou a corrida à 1h30 da madrugada, na Rua Jubair Celestino, 195, Presidente Altino, em Osasco (SP), com destino à Rua Bela Cintra, 1032. Porém, o acidente aconteceu por volta de 4h. Mas o trajeto, mesmo em horário de pico, duraria aproximadamente 30 minutos.

Rodrigo Mussi apresentou melhoras no quadro de saúde
Rodrigo Mussi apresentou melhoras no quadro de saúde (Foto: reprodução/Instagram/@rodrigo.mussi)

Além disso, as câmeras do prédio de segurança que o Rodrigo estava, mostra o rapaz saindo do local aproximadamente às 3h20. Sendo assim, reforça que o ex-bbb não pediu o carro de aplicativo às 1h30, como diz o motorista.

A outra contradição é em relação a identidade de Rodrigo Mussi após o acidente. No momento que a vítima foi socorrida, ela não foi identificada pelo motorista. Mas o Kaique Reis sabia o nome do passageiro, quando prestou depoimento à polícia na manhã de quinta-feira. Os familiares questionam o motivo pelo qual o motorista não ter repassado o nome do ex-bbb aos socorristas.