Deputadas britânicas são proibidas de levar bebês para o Parlamento

A parlamentar Stella Creasy recebeu um comunicado por e-mail informando que não poderia permanecer no local com sua bebê recém-nascida, em um debate, em Westminster Wall, uma das Casas do Parlamento

Resumo da Notícia

  • Um consenso entre políticos de diversos partidos do Reino Unido concluiu que os parlamentares não devem levar bebês para a casa legislativa
  • A parlamentar Stella Creasy, do Partido Trabalhista, foi informada que não poderia permanecer no local com sua bebê recém-nascida, em um debate, em Westminster Wall, uma das Casas do Parlamento
  • No Brasil, em junho do ano passado, viralizou a imagem da deputada Talíria Petrone amamentando enquanto discursava

Um consenso entre políticos de diversos partidos do Reino Unido concluiu que os parlamentares não devem levar bebês para a casa legislativa. De acordo da BBC News, o relatório do Comitê de Procedimentos, elaborado pelo presidente da Câmara dos Comuns, Lindsay Hoyle, pediu revisão das regras relacionadas ao tema desde que, em novembro de 2021, a parlamentar Stella Creasy, do Partido Trabalhista, foi informada que não poderia permanecer no local com sua filha recém-nascida, em um debate, em Westminster Wall, uma das Casas do Parlamento. Com isso, a “prática de longa data” deve permanecer em vigor. O documento diz ainda que casos específicos podem ser analisados, mas com moderação. Ou seja, bebês estão proibidos de entrar nas Casas do Parlamento.

-Publicidade-
Mãe é indenizada após ser demitida por deixar trabalho para socorrer o filho na escola
Maternidade x mercado de trabalho: as dificuldades da conciliação (Foto: Shutterstock)

O relatório mostra ainda que em “várias ocasiões” parlamentares levaram seus bebês para debates sem interrupções e que isso fez com que os parlamentares confundissem as coisas. A deputada conservadora Alicia Kearns também se pronunciou sobre o caso e disse que a “Câmara dos Comuns” não é lugar de bebê e disse que já deixou debates para amamentar seu filho.

Em entrevista à BBC, Creasy expressou sua decepção com a decisão e disse que ela esperava que a revisão das regras pudesse permitir que “paternidade/maternidade e política se misturassem”. E chamou essas regras de “antiquadas”. “A mudança só virá quando começarmos a ouvir aqueles que estão fora do status quo”, disse a deputada. Ela conta ainda que já havia levado seus outros filhos , até que então recebeu um e-mail com regras que proíbem de levar crianças aos debates.

No Brasil, em junho do ano passado, viralizou a imagem da deputada Talíria Petrone amamentando enquanto discursava. Na Nova Zelândia, a primeira ministra Jacina Ardern, foi a primeira líder mundial a participar de uma reunião na Assembleia Geral da ONU com seu bebê. Em 2016, a deputada esquerdista, Carolina Bescansa, foi criticada por levar seu bebê de cinco meses ao Plenário e amamentá-lo, no Congresso Espanhol e desencadeou uma discussão sobre maternidade e amamentação.

Assista o primeiro episódio do POD&tudo, o podcast da Pais&Filhos.