Dia da Terra: a importância da data para o futuro do nosso planeta e do seu filho

Mais do que nunca, em meio à pandemia do novo coronavírus, é essencial repensar alguns hábitos e mudar de fato os comportamentos em relação ao planeta — e esses valores devem ser aprendidos em casa, desde pequenos

Mais do que nunca, é preciso mudar de fato nossas atitudes em relação ao planeta Terra para o futuro das crianças (Foto: Getty Images)

Nesta quarta, 22 de abril, é celebrado o Dia da Terra! A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2009, para conscientizar sobre a importância de proteção do meio ambiente e de conservação da nosso planeta. A infância é o momento de formação de hábitos e, por isso, é tão fundamental que você trate de assuntos ligados à sustentabilidade e cuidado com o meio ambiente com o seu filho. Assim, no futuro, teremos adultos mais conscientes. Mais do que nunca, em meio à pandemia do novo coronavírus, é essencial repensar alguns comportamentos e sobre o tipo de educação e quais reflexões estão sendo passadas às crianças. É preciso mudar de fato nossas atitudes em relação ao planeta Terra para o futuro das crianças.

-Publicidade-

“Nesses tempos incertos, só uma coisa parece clara: estamos todos juntos nesse barco chamado Terra. Não há como sair dessa nova realidade. Estamos atravessando tempos difíceis, mas o relógio não deixa de avançar. Um dia, sairemos dessa e tenho esperança de sairmos mais fortes e mais comprometidos. Penso que está em nossas mãos a possibilidade gigantesca de nos tornarmos mais solidários com o sofrimento do outro”, reflete a jornalista Mariana Reade, embaixadora da Pais&Filhos, mãe de Maria e Carolina.

Esse momento atípico que o mundo enfrenta pode ser o combustível para que você se torne mais solidário também com o planeta Terra. O confinamento da quarentena já mostra resultados na natureza: os níveis de poluição diminuíram, javalis foram vistos em Barcelona, um puma selvagem percorreu as ruas desertas de Santiago do Chile, as águas dos canais de Veneza ficaram cristalinas e abrigam peixes novamente. A flora e a fauna mundo afora estão retornando às suas áreas naturais. Mas como manter esse equilíbrio assim que o isolamento social acabar e tudo voltar ao “normal”?

-Publicidade-

Meio ambiente para todos

Monica Borba, pedagoga especialista em educação ambiental e gestora do Instituto 5 Elementos, defende que valores como economia de energia elétrica e água, separação dos resíduos sólidos, não-consumismo, respeito à natureza e aos animais são aprendidos dentro de casa e fundamentais para se cuidar melhor do meio ambiente.

Estreitar a relação entre você e o planeta é o primeiro passo para colocá-lo no topo das prioridades quando o assunto é futuro, e seu filho vai seguir os seus passos por causa daquela famosa palavra: o exemplo. A gente te ajuda na missão de mudar os hábitos e incluir o papo sobre meio ambiente em casa!

Sem naturofobia

Você sente aflição em deixar o seu filho pisar na grama porque pinica ou pode subir um bichinho? É difícil falar sobre os cuidados com o planeta quando construímos uma distância enorme entre nós e a natureza. Caso a sua resposta para a nossa pergunta tenha sido “sim”, temos uma informação importante: você pode sofrer de NATUROFOBIA. E parece que a maior parte dos seres humanos sofre desse mal e não tem conhecimento. Essa palavra se resume a nossa dificuldade em lidar com a natureza e aceitar o que é natural. “As pessoas não gostam do que é natural, muitas vezes têm medo, pavor, nojo”, diz Claudia Visoni, jornalista e ambientalista, mãe de Alex e Julieta. São pequenas ações que mostram o quanto a gente possui uma certa fobia pela natureza e essa atitude não ajuda em nada.

Vamos além, não queremos discutir apenas sobre a aversão das pessoas à vegetação, mas falar também sobre os animais. Temos o costume de querer acabar com qualquer inseto que aparece, e manter as coisas 100% limpas. Um exemplo ótimo dessa prática seria a nossa “neura” de que as crianças precisam estar sempre impecáveis. Melhor não deixar engatinhar no chão sujo, nada de banho de chuva ou se sujar com a comida durante as refeições. Com todo esse distanciamento fica difícil se envolver quando o assunto é cuidar do meio ambiente. Sejamos sinceros, o que acontece na maioria das vezes, se você não é um ativista engajado, é brotar uma indisposição para ler um texto sobre como economizar a água, por exemplo.

É bom que os hábitos a serem ensinados às crianças sejam, claro, praticados pelos pais (Foto: Getty Images)

Economizar água

Chegou o momento! Um exemplo de atitude muito simples, porém, extremamente significativa, é escovar os dentes com a torneira fechada, utilizando um copo d’água para enxaguar a boca. Um ato como esse pode economizar até 25 litros de água, segundo levantamento da Fundação SOS Mata Atlântica. A economia de água também pode ser praticada no momento do banho. O registro aberto durante o banho consome 135 litros de água. Por isso o ideal é fechar a torneira no momento de se ensaboar. Como a melhor forma de aprender é pelo exemplo, é bom que os hábitos a serem ensinados às crianças sejam, claro, praticados pelos pais. Ou seja, a casa toda vai passar a ser mais ecológica desde já, o que é ótimo.

Poupar energia elétrica

O gasto excessivo de energia elétrica pode trazer sérias consequências para o meio ambiente, além de aumentar o valor da conta de luz. Monica sugere ensinar às crianças a desligar a luz quando saírem de um ambiente e tentar aproveitar ao máximo a luz natural. Desligar os eletrônicos da tomada assim que terminar de usar também é um ato simples e prático. O tempo que as crianças ficam no tablet, smartphones, computador ou diante da televisão também pode ser negociado. Assim, além de reduzir o consumo de energia, diminui o contato com os meios eletrônicos.

Diminuir o consumismo

Muita gente pode nem relacionar, mas o consumismo também possui impacto sobre o meio ambiente, pois pode implicar em um aumento na quantidade de lixo produzido por uma família.  As crianças são facilmente influenciadas pela publicidade e como não possuem discernimento para distinguir o que é bom do que não é acabam pedindo tudo aos pais. É preciso ensinar às crianças que é possível trocar um brinquedo ao invés de comprar um novo.

Pessoas que têm contato com a natureza desde pequenos cuidam melhor do meio ambiente no futuro (Foto: iStock)

Maior contato com a natureza

Estudos comprovam que pessoas que têm contato com a natureza desde pequenos cuidam melhor do meio ambiente no futuro. Diante dessa realidade, é recomendado que os pais proporcionem esse tipo de atividade aos filhos. Não há necessidade de buscar uma floresta fechada, não: deixar que as crianças subam em árvores, fiquem descalças na grama e tenham contato com o mar já são atividades perfeitas. Deixar o carro na garagem e andar na rua possibilita que as crianças tenham noção de coexistência com o meio ambiente.

Hortinha em casa

Que mãe nunca ouviu um filho pequeno dizer que os alimentos vêm da embalagem ou da geladeira? O raciocínio pode até ser engraçado, mas de fato hoje muitas crianças não sabem a origem dos alimentos. Você pode (e deve) ajudar seu filho a saber de onde vêm. Não há necessidade de largar a vida na metrópole e se mudar para o interior, mas ter um pezinho de hortelã em casa e fazer um chá com as folhas já ajuda.

Informação na medida

Falar sobre cuidados ao meio ambiente com as crianças traz muitos benefícios, mas é preciso que os pais tenham sensibilidade para colocar sobre suas costas a responsabilidade de ter atitudes sustentáveis. A pedagoga e gestora do Instituto 5 elementos diz que muitas crianças podem ficar assustadas quando os pais falam em termos como aquecimento global. Por isso o melhor é ensinar esses hábitos em um tom de brincadeira. E com estas atitudes que são o que cada um de nós pode fazer já na sua vida.

-Publicidade-