Dia dos Pais: “Eu e minhas filhas não nos cansamos uns dos outros, a quarentena provou isso”

Todo segundo final de semana de agosto é comemorado o dia deles aqui no Brasil! Desta vez, em parceria com o Hipermercado BIG, vamos fazer homenagens emocionantes para esses caras, para reforçar a importância dessa data e de uma paternidade cada vez mais ativa

Resumo da Notícia

Renato Oliveira, do @contatoria, com as filhas Camila e Marília (Foto: arquivo pessoal)

Para celebrar o Dia dos Pais, a Pais&Filhos e o Hipermercado BIG fez a seguinte pergunta para a audiência: qual foi o momento mais BIG da sua vida com seu filho ou com seu pai? Para participar é só postar sua resposta usando a #MeuBIGPaiFeliz.

-Publicidade-

O isolamento social, por causa do coronavírus, mudou planos de muitas famílias. Mas para passar por essa fase, muitos pais preferem tentar procurar o lado positivo de passar mais tempo em casa com os filhos. Este é o caso do Renato Oliveira, do @contatoria, pai da Camila e da Marília. Ele percebeu que ele e as filhas não se cansam uns dos outros durante a quarentena. Leia o relato completo abaixo:

Renato percebeu que ele e as filhas não se cansam um do outro, a quarentena provou isso! (Foto: arquivo pessoal)

“O nascimento das meninas, aquele primeiro contato, coberto de emoção pela chegada, pelo primeiro contato físico, tem um lugar especial nas minhas lembranças.

-Publicidade-

Mas acredito e sinto tanto a conexão com elas em cada pequena etapa da vida que fica impossível achar um único momento BIG que se destaque dos demais. Vivemos tantos momentos únicos, tanta cumplicidade, tanto amor que construímos várias lembranças que poderiam chamar a atenção.

Aliás, com o @contaroria, algo que orgulha as meninas, elas aprenderam a contar histórias. O gosto pelos livros e pelas brincadeiras tradicionais reina aqui em casa, e isso me faz reviver constantemente bons momentos da minha infância.

A pandemia tem sido bastante comentada entre a maioria das pessoas com quem convivo, ainda que virtualmente. Alguns até me olham com estranheza quando eu digo que estou gostando da quarentena. Aí é preciso ter calma na interpretação.

Claro que eu não gostaria de ver pessoas adoecendo ou morrendo em decorrência de um vírus. Mas um dos efeitos da pandemia foi a quarentena, ou seja, a presença em casa.

Pra muitos isso também foi ruim, mas entendo aquelas pessoas que não “treinaram” a convivência intensa com os filhos. Sem críticas. Muitos que piraram não tiveram a oportunidade de treinar no “modo hard”.

Aqui em casa as brincadeiras não digitais só aumentaram. Ficamos especialistas em desenhos. Testamos novas brincadeiras, excluímos as que não se adaptaram no espaço que tínhamos. Experimentamos outras e repetimos as que deram certo.

Eu, Camila, de 7 anos, e Marília, de 5 anos, não nos cansamos uns dos outros. Os momentos de tensão, normais, nem chegaram próximos aos momentos de amor incondicional, de entrega, de cócegas e risadas.

As duas fizeram aniversários nesse tempo, e a menor presença de convidados não foi ruim. O que deu pra ser virtual, foi. Mas o mais importante, pra elas e pra nós, era que a nossa família estava próxima.

Ainda não acabou? Não tem problema! Seguimos brincando e nos divertindo, respeitando os momentos e espaços alheios, mesmo no mesmo ambiente de confinamento”.

Vamos bater um papo sobre os melhores momentos BIG e os aprendizados durante a quarentena no dia 06 de agosto às 15h através de uma live em todos os canais da Pais&Filhos: Facebook, Instagram e YouTube. Já anota na agenda para não perder as comemorações de Dia dos Pais.

-Publicidade-