Dia dos Pais: “Quero ver nos olhos dos meus filhos o mesmo olhar que tenho para meu pai”

Todo segundo final de semana de agosto é comemorado o dia deles aqui no Brasil! Desta vez, em parceria com o Hipermercado BIG, vamos fazer homenagens emocionantes para esses caras, para reforçar a importância dessa data e de uma paternidade cada vez mais ativa

Resumo da Notícia

  • Neste Dia dos Pais, nossa comemoração será lembrar dos melhores BIG momentos entre pais e filhos. Perguntamos para a audiência, em parceria com o Hipermercado BIG: qual foi o momento mais BIG que você teve com seu pai ou com seu filho?
  • Leandro Nigre, do @papaieduca, pai de João Guilherme e João Rafael, conta a experiência dele neste texto. Leia abaixo!
Leandro Nigre, do @papaieduca, com os filhos João Guilherme e João Rafael (Foto: arquivo pessoal)

Dia dos Pais, dia de celebrar a família. A Pais&Filhos acredita que família é tudo, seja a família que for. E esta data está na lista das mais especiais do ano para a gente, por isso, mesmo com o isolamento social, convidamos vocês a celebrar!

-Publicidade-

Em parceria com o Hipermercado BIG, soltamos a seguinte pergunta à audiência: qual foi o momento mais BIG da sua vida com seu pai ou com seu filho? As respostas chegaram a emocionar a gente. E se você quiser participar, é só publicar sua resposta usando a #MeuBIGPaiFeliz. Neste texto você lê o depoimento de Leandro Nigre, do @papaieduca, pai de João Guilherme e João Rafael:

Leandro Nigre com os filhos e a esposa, Dayane (Foto: arquivo pessoal)

Quando nos tornamos pais, queremos fazer com os filhos tudo aquilo que consideramos que nossos velhos não puderam realizar conosco. Nos sentimos determinados a escolher um caminho diferente! Almejamos brincar mais, olhar mais nos olhos, ofertar atenção, “suprir” todas as necessidades que avaliamos como indispensáveis para que se sintam completamente felizes, amados, nos aceitem como somos… Mas nem sempre é assim. Quanto há de nossos pais em nós?

-Publicidade-

No meu caso, muito. Meu pai sempre foi um homem trabalhador. Quando nasci, ele tinha uma produção caseira de balaios no fundo no quintal. Me lembro das valetas que recebiam os bambus, as tecedeiras amontoadas próximo da cruzeta para início dos trabalhos. Tudo isso sob barracas feitas da própria matéria-prima para proteger do sol e muito pouco da chuva… Nela, os balanços e alguns brinquedos me mantinham por ali…

Ele já fez quase tudo nessa vida, de sol a sol, migrando como motorista, se aventurando no trabalho rural, no comércio… O trabalho simples nos ofertava o pão diário. Tudo para atender as nossas necessidades, alimentar a família de três filhos. Não viajou o mundo, conheceu a praia depois dos 50 anos e ainda que nunca tenha concluído seus estudos, frequentando os melhores colégios e bancos acadêmicos, nos conduzia dentro de seus princípios éticos, morais e culturais.

Mesmo que, por qualquer razão, eu tenha discordado algum dia de suas escolhas por ser rigoroso e autoritário, me fez o homem que sou. Me atribuiu responsabilidades, foi presença ativa na minha educação. Sempre participativo na rotina familiar e, ao lado de minha mãe, que também trabalhava fora, favoreceu meu desenvolvimento como ser humano, assim como de minhas duas irmãs.

Hoje, na paternidade, eu tenho a chance de ser para meus filhos muito do que meu pai foi pra mim. No aprendizado diário quero apenas seguir o caminho, sem olhar para trás,
me cobrar menos e também ter nos olhos dos meus filhos o mesmo olhar que tenho para meu pai, que a cada dia se torna um homem melhor!”

Na última quinta-feira, 6 de agosto às 15h, tivemos um bate-papo sobre este assunto ao vivo com transmissão simultânea em todas as plataformas da Pais&Filhos: YouTube, Facebook e Instagram. Beto Bigatti, do @pai_mala, Humberto Baltar, do @paispretos, e Nicácio Belfort, do @amordepapaireal, compartilharam seu momento BIG da paternidade em uma conversa mediada por Andressa Simonini, @ddsimonini, nossa editora-executiva. Abaixo você pode assistir a live completa:

-Publicidade-