Dia Mundial do Chocolate: veja curiosidades, histórias e motivos deliciosos para comemorar a data

 O chocolate foi descoberto aqui perto de nós, no coração da América do Sul! Separamos diversas curiosidades, histórias, informações e benefícios desse alimento que deixa a vida da família toda mais doce — e feliz

Resumo da Notícia

  • A palavra chocolate significa "alimento dos deuses"
  • Não é à toa que o sabor do doce traz uma sensação tão boa
  • Por isso, separamos curiosidades, histórias e benefícios desse alimento
Chocolate traz a sensação bem-estar e pode melhorar seu dia!

A palavra chocolate, de origem grega, significa “alimento dos deuses”. O sabor é capaz de curar tristezas, angústias e trazer a sensação de bem-estar. Afinal, a vida fica melhor quando está mais doce. O chocolate foi descoberto aqui perto de nós, no coração da América do Sul.

-Publicidade-

Primeiro, foram os maias, depois os astecas, e então vieram os europeus. O mundo todo se rendeu ao sabor inconfundível desse verdadeiro néctar do amor. O doce feito do cacau libera duas substâncias, a serotonina e a endorfina, que nos deixam mais calmos e mais bem-humorados. É essa mistura inebriante que nos dá a sensação de estarmos apaixonados.

“Minha mãe sempre dizia que a vida é como uma caixa de chocolates, você nunca sabe o que vai encontrar.” Assim como a mãe de Forrest Gump, nós aqui da Pais&Filhos acreditamos que a vida pode ser uma sequência de deliciosas surpresas. Por isso, para comemorar este Dia Mundial do Chocolate, separamos diversas curiosidades, histórias, informações e benefícios desse alimento que deixa a vida da família toda mais doce (e feliz!):

-Publicidade-
Um dia cheio de chocolate pode tornar a vida da família toda mais doce

Com açúcar, com afeto

Para a psicóloga e membro da Sociedade Brasileira de Psicologia, Elaine Pedreira Rabinovich, avó de Samuel e Bella, cada pessoa desenvolve uma relação com o chocolate, que pode ser desde uma lembrança até a negação diante de uma dificuldade.

E na gravidez, pode?

A endocrinologista do laboratório Delboni Auriemo Medicina Diagnóstica, Myrna Campagnoli, mãe de Victor e Maria Tereza, explica que a mãe pode comer chocolates. O chocolate meio amargo, inclusive, possui componentes que podem diminuir a pressão arterial e proteger a mulher contra pré-eclâmpsia, ou seja, o quadro de pressão alta na hora do parto.

Prazer só seu

Quando uma pessoa come chocolate, produz serotonina, o hormônio do prazer. No entanto, essa molécula é muito grande para passar pela placenta, por isso o bebê não sentirá esse efeito. A serotonina também é responsável por deixar a futura mãe mais calma, o que traz benefícios para a criança.

Na medida certa

Para os bebês de até 2 anos de idade, o chocolate ainda não pode fazer parte do cardápio. Até os 5 anos, 20g de chocolate é o mais recomendado. Dos 5 aos 10 anos, a porção não deve passar dos 30g. Depois dos 10, a quantidade pode aumentar para 40g por dia, porção indicada também para adultos.

Grávidas não só podem ingerir chocolate como ele também pode trazer benefícios (Foto: Getty Images)

Chocolate do bem

A empresa Amma Chocolates reconhece o valor da biodiversidade brasileira, por isso é a única companhia que tem todo o processo de produção – da plantação à barra – concentrado em suas mãos. O chocolate, feito de cacau orgânico, é cultivado em solo baiano, o mais fértil do país.

Nem tudo é doce

Existem alguns tipos de chocolates salgados, feitos com flor de sal, que possuem 70% de cacau e podem ser recheados também com sal marinho. Uma das primeiras empresas a fabricar o chocolate salgado foi a inglesa Demarquette Fine Chocolat, que recomenda que ele seja consumido com uísque. Também pode ser combinado com doces.

Atenção para o rótulo

Para um alimento ser chamado de chocolate, precisa ter 25% de cacau. E a maioria dos chocolates que compramos apresenta apenas cerca de 8% do componente. A diretora da Escola de Chocolataria, Silvana Casteli, explica a diferença entre os tipos de chocolates:

Chocolate ao leite: produzido a partir da mistura de leite ou leite em pó do cacau. É o mais comum no mercado e tem pouca quantidade do fruto.

Chocolate branco: é feito da mistura da manteiga do cacau com leite e açúcar. É considerado o tipo mais calórico de chocolate e o menos recomendado pelos nutricionistas.

Chocolate amargo: feito a partir da torra dos grãos de cacau sem adição de leite, apenas açúcar e manteiga. É considerado o mais nutritivo e saudável.

Chocolate orgânico: a diferença está na forma de cultivo, sem o uso de agrotóxicos, fertilizantes ou pesticidas. Sua produção é totalmente sustentável.

Filmes de dar água na boca

Dispense a pipoca e prepare os bombons!

(Foto: Pais&Filhos)

Passeio pela história

Marco histórico

Até o início do século XX o chocolate era consumido como uma bebida quente, seguindo as tradições inglesas. Depois que os Estados Unidos se tornaram a nova potência mundial, o doce se transformou no símbolo do capitalismo e os EUA passaram a vender chocolate em barras.

Símbolo da paz

Por seu alto potencial energético, os soldados que lutavam na Segunda Guerra Mundial costumavam comer bastante chocolate. Muitos recrutas usavam o chocolate como símbolo de paz, oferecendo para as populações locais.

O chocolate vai acabar?

Um estudo realizado em Gana diz que o chocolate corre risco de extinção. O motivo seria as condições do solo africano, responsável por 72% da produção do cacau mundial. O mau uso do solo é o responsável por esse cenário. O estudo aponta ainda que isso pode fazer com que em 20 anos o chocolate seja tão caro quanto o caviar.

Cioccolato divino

Uma Associação de Chocolateiros italianos presenteou o Papa Francisco com uma estátua de chocolate em tamanho real. Para a produção de um mês, foi utilizada 1,5 tonelada de chocolate.

Chocolate Room

Ex-diretor de criação da Chanel, o estilista Karl Lagerfeld, que faleceu em 2019, projetou uma suíte Premium no hotel La Réserve, em Paris, em parceria com o escultor de chocolate Patrick Roger. Por lá, o cômodo e até um hóspede sentado na cama são feitos de chocolate.

A alma do negócio

Na década de 1970 o chocolate era visto no Brasil apenas como item de ostentação. As famílias ainda associavam o alimento a problemas de saúde. Por isso, os fabricantes de chocolate enxergaram na publicidade uma forma de quebrar esse tabu. No Brasil, foram criados slogans conhecidos até hoje:

  • Chocolate anima a vida
  • Coma chocolate. Energia que dá água na boca
  • Chocolate, energia para todo dia
  • Chocolate é energia que não pesa no seu bolso

O chocolate em números

  • As mulheres representam 56% dos consumidores de chocolate no Brasil
  • No Brasil, o consumo de chocolate por pessoa é de 2,5 quilos por ano
  • O sabor favorito da maioria dos brasileiros é ao leite, com 42% de preferência
  • 75% da população consome chocolate
  • 35% da população não troca o chocolate por nada