Dia Nacional da Escola: como será a nova realidade após a pandemia?

Nos últimos três anos, comemoramos o Dia Nacional da Escola de formas completamente diferentes e agora estamos redescobrindo uma realidade longe da covid-19

Resumo da Notícia

  • Nesta terça-feira, 15 de março, é comemorado o Dia Nacional da Escola
  • Nos últimos anos, celebramos a data de formas completamente diferentes
  • No meio de tantas mudanças, fica uma pergunta: como será voltar às aulas como eram antes da pandemia?

Vamos falar a real: a escola como nós conhecíamos mudou (e muito!) nos últimos anos. E olha que a gente nem está falando da tecnologia, hein?! Foi um tal de aulas canceladas, aulas onlines, sistema híbrido e agora (na maioria dos estados) voltamos finalmente para o ensino completamente presencial. Em alguns lugares as crianças estão podendo até mesmo a ver os sorrisos animados sem a obrigatoriedade das máscaras. A gente vai assim: um passo por vez conforme for se tornando seguro para, aos poucos, voltarmos ao que estávamos acostumados antes. Ou melhor: unir o que aprendemos durante a pandemia para criar um normal ainda melhor do que tínhamos!

-Publicidade-

E em todo esse contexto maluco de resiliência, o dia 15 de março se torna ainda mais especial. Nesta terça-feira é comemorado o Dia da Escola e nós não poderíamos deixar de celebrar esse ambiente que fez tanto por você e agora faz tanto para seu filho. Afinal, durante a pandemia, descobrimos algo que talvez antes não percebíamos: a escola vai muito além de um mero local físico, ela é o conjunto de aprendizado, troca e socialização, que vai se adaptando e dançando conforme a música.

O Dia Nacional da Escola é nesta terça-feira
O Dia Nacional da Escola é nesta terça-feira (Foto: Getty Images)

Para celebrar a data, te convidamos pra uma viagem curta no tempo, na ‘era da pandemia’. Em 2020, comemoramos o Dia da Escola em um contexto tenso: os primeiros casos de covid-19 no Brasil já tinham se confirmado e estávamos nos preparando para um isolamento social. Perto desta data, há 2 anos atrás, você provavelmente estava recebendo um bilhete na agenda do seu filho, um e-mail ou uma ligação com a seguinte mensagem: as aulas serão canceladas por uma semana. Mal sabíamos nós que aquela semana se tornaria duas, três, um mês, um ano… e por aí vai!

No ano seguinte, em 2021, celebramos essa data com uma versão de escola totalmente nova e diferente da que conhecíamos: as salas de aula já tinham se transformado em computadores, celulares, tablets ou, até mesmo, televisões. Para alguns, ainda, o aprendizado precisou se limitar a algumas folhas de atividades e exercícios. As aulas aconteceram até mesmo via rádio. Dessa vez, a data trouxe um motivo especial para celebrar e aprendemos mais do que nunca a dar valor aos professores e funcionários que compunham o ambiente escolar.

Neste ano, vivemos o Dia da Escola com mais uma grande adaptação: como é voltar à rotina presencial? Depois de tanto tempo em casa, não só você mas como seus filhos se acostumaram à nova forma de aprender. Claro que, aqui entre nós, nada supera esse contato humano e o ensino presencial funciona bem melhor. Mas não deixa de ser um novo processo, com grandes mudanças: voltar a ver os colegas, lembrar como é acordar mais cedo para se arrumar, separar o lanche antes da hora. E, em alguns casos, aprender até mesmo a não precisar usar a máscara em todos os momentos. É  hora de entramos em mais um ‘novo normal’.

Reaprendendo o cara a cara

Dizer que estamos voltando ao que éramos não seria completamente verdade, afinal, passamos por muitas mudanças de 2020 para cá. Agora, enquanto as crianças reaprendem a brincar com os amigos cara a cara, os professores se reacostumam com as salas cheias e os pais a ficarem sem os filhos em casa. É um novo normal para todo mundo, mas uma volta necessária, como defendem Taís e Roberta Bento, mãe e filha, embaixadoras da Pais&Filhos, e fundadoras do site SOS Educação.

As crianças também estão reaprendendo a viver presencialmente
As crianças também estão reaprendendo a viver presencialmente (Foto: Getty Images)

“Seu filho precisa de outras crianças para aprender a “ser” e a “conviver” com pessoas de idade semelhante. Uma infância sem os desafios do desejo pelo mesmo brinquedo, de escolher brincadeiras diferentes do colega, de precisar correr para chegar primeiro no banheiro gera crianças que não têm oportunidade para praticar a arte de se relacionar”, defendem elas, na última coluna que publicaram na Pais&Filhos.

Beto Bigatti, pai de Gianluca e Stefano e embaixador da Pais&Filhos, também está comemorando esse retorno. “Ao mesmo tempo que segue a máscara e certo distanciamento, o resto voltou ao normal. Não tem mais aula online. Por um lado, estamos muito felizes – apesar da Ômicron ter contaminado tanta gente – mas é bom ver a escola retomando seu ritmo normal de antes da pandemia. Agora poder voltar, todo mundo junto e sem exceção, é muito legal”, contou ele, em uma live feita com a Pais&Filhos.

Ele ressaltou que essa adaptação não aconteceu apenas com os alunos, mas como com os pais. “Os pais também tiveram que aprender a dosar a ansiedade e o medo, e fomos descobrindo como transitar no meio disso tudo. Essa é uma forma da gente retomar não só o ritmo normal, mas na cabeça deles tudo vai voltar para o curso normal da vida deles”, ressalta.

Thamirys Nunes, mãe de Agatha e autora do livro ‘Mãe de Criança Trans?’, contou que as coisas também mudaram na casa dela com a volta das aulas totalmente presenciais. “A Agatha passou por essa mudança de perceber mais a escola como um lugar de aprender”, notou. Mas, claro, os medos ainda não foram completamente embora e é natural levar um tempo para se adaptar. “Ela foi para a escola com bastante medo de pegar covid, quando chega em casa é todo o protocolo de higiene”.

E está tudo bem! Assim como, lá em 2020 na nossa retrospectiva, os pais e alunos precisaram se readaptar e encontrar formas de aprender entre telas de computador, agora passamos para uma nova fase desse processo: (re)aprender a ir até as escolas. Afinal, como falamos durante uma live no nosso Instagram: a nova escola veio para ficar!