Diga a coisa certa: 8 frases essenciais para criar filhos felizes

Criar uma criança independente e alegre pode não parecer a mais fácil das missões. Para te ajudar, lembramos que as palavras têm poder e te mostramos quais você sempre pode falar para o seu filho se sentir mais feliz

Resumo da Notícia

  • É preciso ajustar os ensinamentos para que seus filhos saibam do que está falando;
  • A ideia é que eles possam realmente seguir suas dicas e orientações;
  • Separamos oito frases essenciais para criar crianças felizes

Em um relato à Parents, uma mulher contou que cresceu ouvindo a mãe dizer em italiano: “Só a sua mãe te dirá para que passe batom e fique mais bonita do que ela”. De acordo com ela, era sua maneira de dizer: “Confie em mim. Sei o que é melhor para você”. Ela ainda disse que recebeu outro conselho duradouro: “‘Limpe da frente para trás’ e, sempre que não souber o que dizer, ‘controle-se’. E com certeza você já ouviu outras clássicas frases de mãe”, começou.

-Publicidade-

Entretanto, ela refletiu: “‘Limpar da frente para trás’ era óbvio, mas controlar? Controlar o quê? Eu era uma criança literal, e as palavras dela não me acalmaram – elas apenas me fizeram segurar o corrimão com muita força”, disse. A mulher explicou que a incompreensão dos conselhos da mãe, a fizeram pensar sobre o quanto os próprios filhos, Conrad, de 8 anos, e Dashiell, de 5 anos, entendiam suas palavras de sabedoria.

“Neste momento, percebi que preciso ajustar meus ensinamentos para que meus filhos saibam do que estou falando e possam realmente seguir o que tenho a dizer’, avaliou ao final do relato. “A maneira mais eficaz de falar com uma criança é usar palavras e frases simples que permitam eles aceitem seus sentimentos, mas sigam suas regras”, diz Wendy Mogel, Ph.D., autora de The Blessing of a Skinned Knee.

Conheça as frases essenciais para criar filhos felizes (Foto: iStock)

E não se prejudique também.  Mogel adverte que se você der a uma criança a oportunidade de dizer não, ela poderá usar seu poder de veto sempre que puder – e parecerá que você não está totalmente comprometido com o que está dizendo. Então evite coisas como “ok?”.

Com esses princípios em mente, reunimos as melhores frases que todas as mães devem repetir para seus filhos.

“Eu preciso pensar sobre isso.”

As mães costumam sofrer de um reflexo de resposta instantânea. “Muitos de nós acreditam que temos que pensar por conta própria, encontrar uma resposta imediata e chegar a um consenso com uma criança de 4 anos”, diz Mogel.

Mas deixar escapar a primeira coisa que vem à sua mente pode levar ao arrependimento e à frustração para você e seu filho. Dizer ao seu filho: “Preciso pensar sobre isso” dá autoridade, ganha tempo e também introduz a ideia de que as pessoas pensam sobre as coisas e pesam os prós e os contras antes de dar uma resposta.

Essa iniciativa também pode criar hábitos. Se seu filho ouve você dizer: “Vou ter que pensar sobre isso”, com frequência, ele se sentirá confortável tomando seu tempo ao tomar suas próprias decisões, o que pode ter benefícios a longo prazo.

“Como você se sente com isso?”

Tem havido muita conversa ultimamente sobre como os pais elogiam demais os filhos. “Que incrível que você comeu todo o almoço!”, “Que ótimo que você conseguiu amarrar os sapatos!”. Em vez desse entusiasmo exagerado, Mogel sugere perguntar: “Como você se sente com isso?”, quando as crianças fazem algo louvável.

“Mesmo que seja um pouco passivo-agressivo – as crianças sabem quando você está tentando fazer com que elas digam o que você quer ouvir –  o que é bom sobre essa resposta é que ela dá uma pausa com elogios e incentivos. E faz seu filho entrar em contato com o que ele acha satisfatório, em vez de pensar apenas no resultado final”, diz o Mogel.

Isso também funciona em situações menos agradáveis. No relato, a mãe disse que percebeu resultados ao aplicar essa frases com os filhos: “Quando Conrad esqueceu sua mochila dois dias seguidos na escola, eu tentei esconder meu aborrecimento e em vez disso perguntei a ele sobre seus sentimentos. ‘Sujo e louco’ foi sua resposta”, explicou.

Veja dicas para criar filhos felizes (Foto: Getty Images)

Em seguida, ela disse: “Minha pergunta o fez parar e refletir sobre o quão frustrado ele estava, algo que ele provavelmente não teria feito se eu não tivesse perguntado a ele. Na manhã seguinte, ao sair pela porta, ele se virou para mim e disse com naturalidade: ‘Não vou esquecer minha mochila hoje'”.

“Uau”

Use quando seu filho apresentar um problema ou se ele tiver feito algo que sabe que vai colocá-lo em apuros (como derrubar o copo de leite depois que você o avisou para afastá-lo da borda da mesa). Simplesmente dizer “Uau” permite que ela saiba que você está reconhecendo o que acabou de acontecer, mas não está se comprometendo com uma resposta imediata.

Isso lhe dará um momento para colocar a situação em perspectiva e descobrir como deseja lidar com ela. “Gosto especialmente deste porque vai contra toda a nossa cultura de dar respostas instantâneas e urgentes”, explica Mogel.

“Vamos ver se podemos encontrar algo de bom nisso”

Um dia chuvoso ou uma obra-prima de Lego caída, com suas peças espalhadas por todo o chão. Essas situações são deprimentes para uma criança. O segredo para ajudar seu filho a lidar com a decepção é não se apressar e salvá-lo de se sentir mal.

Em vez disso, você pode ajudá-lo a desenvolver suas habilidades de enfrentamento, deixando-o ficar chateado. Claro, não é fácil ouvir seu filho chorar. Mas depois que ele disser sua parte, sente-se ao lado dele e diga: “Vamos descobrir a parte boa”.

Esteja preparado para alguma resistência; afinal, é difícil ver o lado bom de não ter ninguém com quem brincar, por exemplo. Mas continue pedindo a ele para pensar sobre o que ainda é positivo e o que ainda pode funcionar, como: “Podemos assar pão de banana mesmo que seu amigo não venha”. Assim, você ajudará seu filho a aprender a se adaptar e a lidar com o que ele tem.

“Ouça seu corpo”

Muitas mães estão mais em contato com o corpo de seus filhos do que com o seu próprio. Nós sabemos quanto tempo eles dormiram e a última vez que comeram e fizeram cocô – mesmo quando eles têm 8 anos, não 8 meses. No entanto, se você administrar habitualmente as necessidades físicas de seu filho, ele descobrirá que não precisa e não aprenderá a se autorregular, diz o especialista.

Ensine seu filho a identificar o que está acontecendo com o corpo dele (Foto: Freepik)

Quando a criança disser: “Estou com dor de estômago”, não se apresse em compartilhar sua própria conclusão (como “Claro que sim. Você não fez cocô / não comeu). Em vez disso, ajude-a a examinar as causas prováveis. Por fim, se ela aprender a prestar atenção em seu corpo, poderá reconhecer que as borboletas na barriga são diferentes das dores de fome. Ou que ela não consegue dormir porque está com a cabeça cheia de pensamentos.

Uma vez que seu filho possa identificar o que está acontecendo com seu corpo, ele será capaz de responder da maneira apropriada. Ele saberá quando parar de brincar e se levantar e ir ao banheiro, ou reconhecer quando já comeu o suficiente. E quando ele disser que não consegue dormir, pelo menos poderá dizer por quê.

“Respire”

Todos nós precisamos diminuir o ritmo, mas na pressa de nos prepararmos para o ônibus, o treino de futebol ou as consultas médicas, é fácil esquecer como. Dizer isso põe fim à urgência que tantas crianças sentem durante os momentos de transição entre as atividades, e isso o lembra de respirar também.

“É o equivalente a colocar a máscara de oxigênio primeiro em você e depois no seu filho”, diz Mogel. As crianças refletem nosso estado de espírito e, se você puder parar e pedir um tempo para respirar, estará ensinando seu filho a desacelerar e lidar com situações estressantes.

Essa frase redefine o tom do seu dia e dá a você e seu filho permissão para ficar bem onde você está – e talvez até ver como é engraçado você encontrar apenas um sapato. A melhor maneira de garantir que suas palavras tenham um efeito calmante é se curvar até o nível dos olhos de seu filho, segure as mãos dele e respire fundo algumas vezes. Quando terminar, você também se sentirá mais lúcido e conectado, e terá muito mais chances de localizar aquele outro sapato.

“Você gostaria de fazer tudo de novo?”

Quando seu filho se recusa a comer brócolis, se recusa a compartilhar o brinquedo com o amigo ou diz que você precisa levá-lo ao parque com urgência, é uma boa maneira de lembrá-la gentilmente de como você espera que ele se comporte.

A beleza da frase é que você está deixando ele saber que aquele  comportamento não é legal, sem constrangê-lo ou repreendê-lo. Funciona quer você esteja na privacidade da sua própria casa ou na fila para uma mesa em um restaurante lotado, porque é amigável e não é ameaçador.

Mudar a frase para “vamos fazer de novo” a torna ainda mais eficaz porque não é negociável. Vocês dois vão reconstituir um momento juntos, e seu filho não pode dizer não. Além disso, isso te tira da berlinda e coloca vocês dois no mesmo time. Quando ele sentir que você é seu aliado, ficará mais disposto a trabalhar com você.

“Essa é uma ótima ideia”

Ser uma líder de torcida pelas grandes e pequenas ideias de seu filho o ajudará a perceber que ele pode resolver seus próprios problemas com eficácia. Quer você tenha uma criança de dois anos tentando descobrir o que quer vestir, uma de seis anos decidindo como passar a tarde ou uma de oito anos debatendo sobre a história que vai escrever.

Juntos, é possível formar famílias mais felizes (Foto: Shutterstock)