Diretora da escola que colocou bebês em ‘camisa de força’ é investigada por arranhar aluno em 2014

A Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica está sendo investigada por maus-tratos à crianças após colocar funcionários colocar amarrar bebês em “camisa de força” para dar comida e pela diretora arranhar um aluno em 2014

Resumo da Notícia

  • Bebês aparecem amarrados em "camisa de força" em escola infantil
  • Diretora da instituição está sendo investigada por arranhar aluno em 2014
  • O colégio também tem histórico de morte no passado

Escola infantil que está sendo investigada pela Polícia Civil por amarrar bebês com “camisa de força” já teve histórico de maus-tratos dentro da unidade. Um vídeo filmado em 2014, mostrou uma criança de 2 anos, informando à mãe que havia sido arranhada pela diretora da instituição. A cena voltou a circular na internet nesta última semana.

-Publicidade-

No registro, a mãe Arleide Gomes Ferreira, de 45 anos, aparece perguntando ao filho quem havia o arranhado. “A Roberta”, respondeu a criança. Além disso, ele afirmou que ela o chamou de “chato” e apresentou “insegurança” para voltar para a unidade, com receio que ela o “xingue” novamente.

Escola que colocou bebês em 'camisa de força' é investigada por diretora arranhar um aluno em 2014
Escola que colocou bebês em ‘camisa de força’ é investigada por diretora arranhar um aluno em 2014 (Foto: Reprodução / Facebook / Leide Gomes / g1)

“Na época eu gravei um vídeo do meu filho falando que foi a Roberta, diretora da Escola Colmeia Mágica, que o arranhou. Gravei o vídeo, tirei as fotos e postei no Facebook”, afirmou a mãe.

“Agora atualmente eu voltei gravar nas redes sociais falando sobre o assunto depois que eu vi a repercussão que deu [em razão dos vídeos das crianças amarradas], eu falei: ‘não, não posso ficar calada, eu tenho que tentar ajudar essas mães de alguma forma'”, continuou.

Histórico de morte

Em 2010, Heloisa Vitoria Teodoro faleceu por parar de respirar no berçário da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, na Vila Formosa. De acordo com a mãe, Isabel Cristina Gardão da Silva, de 36 anos, disse que o laudo da filha informava que a causa foi “asfixia mecânica por agente físico”.

Na época, a Polícia parou de investigar o caso e o inquérito foi arquivado. A mãe definiu a ação como “falta de provas” para continuar indo atrás do que havia acontecido. Além desse caso, também há outros vídeos registrados dentro do colégios contendo cenas de agressão em outras crianças, que foram entregues à polícia.

Camisa de força

A Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, está sendo denunciada após vídeos vazarem, onde mostram crianças chorando e amarradas com ‘camisa de força’ em um banheiro.

Nos vídeos é possível ver que as crianças estão dentro de um banheiro, sentadas em cadeirinhas de bebês, no chão, embaixo de uma pia e próximas à privada. Uma mãe disse ao portal do G1 que identificou seu filho em dois vídeos. As imagens foram gravadas dentro da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, na Vila Formosa, que é alvo de um inquérito policial aberto no Central Especializada de Repressão a Crimes e Ocorrências Diversas (Cerco) da 8ª Delegacia Seccional.

A Polícia investiga a escola infantil por maus-tratos
A Polícia investiga a escola infantil por maus-tratos (Foto: Reprodução/G1)

Além do crime de maus-tratos, a delegacia investiga a unidade escolar por suspeita de periclitação da vida e da saúde, que seria colocar a vida das crianças em risco, e submissão de crianças a vexame ou constrangimento. A polícia ainda tenta identificar quem fez as filmagens.

Até o momento ninguém foi responsabilizado pelos crimes. A Colmeia Mágica atende crianças com menos de 1 ano de vida até 6 anos de idade, que são do berçário ao Jardim 2. Com essas informações, a investigação pediu um mandado de busca e apreensão na unidade escolar por haver indícios de que os crimes seriam recorrentes.