Diretora é esfaqueada por aluno de 16 anos em escola estadual de SP

A funcionária levou facadas no abdômen, perna e braço e segue internada em hospital da região

Resumo da Notícia

  • Diretora é esfaqueada no litoral norte de São Paulo
  • O aluno que cometeu o crime tem 16 anos
  • A Seduc-sp fez uma nota de repúdio sobre o acontecimento
  • As aulas na escola estão suspensas e o aluno está detido

Um aluno de 16 anos da escola estadual de Caraguatatuba (litoral norte de São Paulo) esfaqueou a diretora na última terça-feira, 22 de fevereiro. A funcionária foi levada as pressas para o hospital e a última notícia que se têm é que ela segue internada. Após a fatalidade, a polícia foi chamada e o garoto foi detido.

-Publicidade-

O ataque aconteceu na última aula do período noturno na escola estadual Ângelo Barros de Araújo. A mulher foi atingida em partes do braço, perna e abdômen enquanto estava abrindo portão para o jovem sair. Os alunos que viram a cena, foram socorrer a vítima e ligaram para a emergência. Ela foi levada para o Hospital Stella Maris onde passou por cirurgia e depois transferiram a mulher para o Hospital Dr. José De Carvalho Florence.

Aluno esfaqueia diretora de escola estadual em Caraguatatuba
Aluno esfaqueia diretora de escola estadual em Caraguatatuba (Foto: Reprodução / G1)

A Seduc-sp (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) comunicou ao G1 que “repudia todo e qualquer tipo de violência dentro e fora das escolas”, lamentou o ataque e disse que já entrou em contato com os familiares da diretora. “A equipe do Conviva, Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar da Secretaria, e Polícia Militar foram acionadas e seguem a caminho da unidade para suporte à comunidade escolar” finalizou em nota.

O adolescente também se feriu no momento do ataque. Após ser ajudado, seguiu para a delegacia. Em depoimento para a polícia, o jovem falou que esfaqueou a mulher por uma “quebra de confiança” por parte dela, deixando ele com raiva. Ele irá responder por tentativa de homicídio e será conduzido a Fundação Casa. Depois da fatalidade, a escola suspendeu as aulas presenciais, porém os alunos terão acesso ao conteúdo online.