Família

Disciplina positiva ajuda a desenvolver a autonomia das crianças: saiba como aplicar em casa

A disciplina aposta no respeito mútuo entre pais e filhos, e em uma educação firme e, ao mesmo tempo, gentil

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: iStock)

Para educar não é necessário punir. Este é o princípio da Disciplina Positiva, baseada nos livros da psicóloga e educadora Jane Nelson, que aposta no respeito mútuo entre pais e filhos, e em uma educação firme e, ao mesmo tempo, gentil. O conceito, desenvolvido pelos psiquiatras Alfred Adler e Rudolf Dreikurs, busca desenvolver a autoestima das crianças, estabelecendo limites sem punição ou recompensas.

Mas como aplicar essa filosofia e desconstruir a disciplina autoritária que os pais receberam na infância? A psicopedagoga e diretora da Clínica de Terapia Cognitiva Ami, Flávia Maoski, esclarece as principais dúvidas e mostra como educar com base nos pilares da disciplina positiva.

A disciplina positiva ajuda a criar uma visão de respeito e empatia pelo outro e suas emoções, desenvolvendo autonomia, cooperação e senso de responsabilidade, não somente na relação entre pais e filhos. “O método encoraja crianças, adolescentes e adultos a se tornarem pessoas mais responsáveis, respeitosas e com recursos para solucionarem os problemas do cotidiano”, explica Flávia.

(Foto: iStock)

Construindo vínculos

A construção e a manutenção dos vínculos com os filhos é essencial para educar crianças mais felizes e contribuir assim para um mundo melhor, com cidadãos menos frustrados. “A disciplina positiva ajuda a encontrar novas respostas às provocações das crianças. É fundamental ouvi-las, incentivá-las e se colocar no lugar delas”, conta. “Para aplicar a técnica no dia a dia é preciso migrar de uma cultura autoritária, movida por castigos e sermões, para outra que respeita o senso de comunidade, onde todos são ouvidos e respeitados”, completa a psicopedagoga.

Mostrar que errar faz parte

Outra maneira de fazer uso da disciplina positiva é evitar as tão populares ofertas de recompensas que muitos pais e educadores utilizam para promover a mudança de comportamento das crianças. Mostrar que adultos são humanos e também erram é outro ponto importante que ajuda a encorajar o respeito mútuo, além de ensinar através do exemplo, entendendo e apoiando. “Aceitação e importância são os objetivos primários de todos, logo mostrar que a criança é importante e aceita em sua família/escola é indispensável para o sucesso da disciplina positiva”, orienta.

(Foto: iStock)

Praticar a linguagem positiva

“A comunicação não violenta deve ser praticada diariamente. Ofereça ajuda, ao invés de impor, e também peça ajuda quando necessário. Frases que estimulam a autoestima e incentivam a independência são capazes de fortalecer os laços da família”, conclui.

Leia também:

Escola não é só brincadeira: o papel do professor na educação durante a primeira infância

Pedir ajuda é mais que uma necessidade, é fundamental!

5 passos para estimular a inteligência emocional do seu filho