Família

Divórcio na gravidez: “decidi, quando dei à luz ao meu filho, que não seria uma vítima”

Alyssa Shultis, desabafou sobre as dificuldades da separação durante sua terceira gestação

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Ser mãe solteira ainda é um tabu, mesmo nos dias de hoje. Se criar um filho a dois já é difícil, imagina o trabalho que deve ser cuidar de uma criança sozinha. Agora, imagina três? Pois é, essa é a vida da Alyssa Shultis, uma mãe que recebeu o pedido do divórcio enquanto estava a espera do seu terceiro filho. Leia a história dela e, assim como a gente, emocione-se:

“Meu ex-marido pediu o divórcio quando eu estava grávida de seis meses do meu terceiro filho. Ele me contou que deu entrada na papelada via mensagem enquanto estávamos em férias com a família no Havaí. Segundo ele, eu estava louca e precisava de ajuda.

Ele limpou nossa conta corrente, mudou meu limite de gastos em nosso cartão de crédito para 200 dólares e me disse que ele iria pegar a guarda dos nossos filhos. Ele e sua mãe difamaram meu nome entre nossos amigos e bairro. Felizmente eles não acreditaram, já que me conheciam bem o suficiente para ver que minhas ações se alinhavam com minhas palavras.

Eu poderia entrar em detalhes sobre quais táticas ele usou durante nossa separação para me intimidar e me controlar. Eu poderia compartilhar uma lista de incidentes que ocorreram entre o momento em que ele pediu o divórcio e o momento em que dei à luz ao nosso filho e sei que muitos deles fariam seus olhos se arregalarem, seu queixo cair e você iria querer me dar um abraço virtual por pena. Mas eu não vou fazer isso.

Mesmo que fosse uma narrativa mais fácil para mudar minha mágoa e raiva e culpar esse homem, decidi, quando dei à luz meu filho há dois anos, que não seria uma vítima. Ser deixada enquanto eu estava grávida não é o auge da minha vida. Criar três meninos para serem homens fortes que vão amar, respeitar e ser carinhosos com as mulheres – e todos e qualquer outra pessoa com quem se relacionem ou tenham um relacionamento – é o meu propósito.

Quando descobri que teria meu filho sozinha, tornei-me reativa e frenética. Eu agredi verbalmente este homem que uma vez se levantou na frente dos outros e declarou seu compromisso vitalício comigo e com o nosso casamento. Explodi. Passei muitas noites pesquisando termos como “ter um bebê sozinho” e “criar um recém-nascido sozinho”. Eu sent