Dor na barriga: causas, sintomas, como identificar e evitar problemas gastrointestinais

Um dos principais motivos para o aparecimento de doenças no trato gastrointestinal é a alimentação rica em produtos industrializados e ácidos, que desequilibram a microbiota e causam sintomas como dor e queimação

Resumo da Notícia

  • Dor abdominal se refere a qualquer desconforto na região abdominal
  • O desequilíbrio da flora intestinal favorece que o corpo sofra com problemas e o aparecimento de doenças no trato gastrointestinal
  • Ter uma alimentação rica em fibras faz toda a diferença para a saúde

A flora intestinal é composta por trilhões de micro-organismos: fungos, vírus e principalmente bactérias colonizam todo o trato gastrointestinal e colaboram para o funcionamento adequado do corpo humano. Quando ela está em desequilíbrio, acontece a proliferação de bactérias patogênicas, ou seja, que podem causar doenças e prejudicar a saúde de uma pessoa em diversos níveis.

-Publicidade-

Existem muitos fatores que contribuem para a disbiose da flora intestinal, o desequilíbrio que favorece que o corpo sofra com problemas e o aparecimento de doenças no trato gastrointestinal. Alimentação pouco nutritiva, níveis elevados de estresse, má qualidade de sono e sedentarismo estão entre as principais causas de desequilíbrio da flora intestinal.

Ter uma alimentação rica em fibras faz toda a diferença para a saúde. O consumo de comidas industrializadas e, principalmente, ácidas, interfere no estômago e esôfago e pode causar incômodos como queimação e dor na região – sintomas que apontam para problemas gastrointestinais.

Quando a flora intestinal está em desequilíbrio, acontece a proliferação de bactérias patogênicas (Foto: iStock)

Problemas gastrointestinais mais comuns

A dor abdominal pode ter muitas causas relacionadas à doenças. Veja os problemas mais frequentes que surgem no organismo causados pelo desequilíbrio da flora intestinal:

  • Gastrite
  • Esofagite
  • Diarreia infecciosa
  • Constipação crônica
  • Colecistite
  • Pedra na vesícula

É importante que logo após o início dos sintomas a família busque por um gastroenterologista, médico especializado em cuidar de doenças nessa região do organismo. A partir disso, começam a ser feitos os exames para diagnosticar de forma correta a doença, uma vez que cada problema demanda um tratamento diferente. Deixar de cuidar disso pode trazer à tona o risco de uma cronicidade e, consequentemente, aparecimento de sintomas com maior frequência.

É dor de barriga ou dor de estômago?

O termo “dor abdominal” é muito abrangente e diz respeito aos desconfortos localizados em toda a região do abdômen. Existem vários tipos de dor, e cada uma receberá um diagnóstico diferente dependendo dos sintomas. Muito comum em crianças, a dor de barriga costuma ser causada por intoxicação alimentar e tem como sintomas cólicas, distensão da barriga, náuseas e vômitos. Para identificar os tipos, é preciso levar em consideração três fatores:

  • Localização no corpo
  • Tipo de dor
  • Intensidade e duração do desconforto

Quanto aos tipos, podemos classificar a dor abdominal em seis possíveis problemas:

  • Estômago: está relacionada à má alimentação e seus principais sintomas são pontadas de dor ou um incômodo contínuo seguido de azia e queimação
  • Vesícula biliar: causada por alimentação rica em comidas gordurosas, as cólicas podem estar acompanhadas de náuseas, vômitos e distensão abdominal
  • Rim: dores fortes, contínuas e que irradiam das costas para a bexiga costumam estar ligadas à infecções de urina. Por isso, pode ser acompanhada por dificuldade de urinar e xixi com cor avermelhada
  • Intestino: seus principais sintomas são cólicas e diarreia, e se estiver associado à diverticulite pode estar acompanhado de perda de apetite e febre
  • Apêndice: causada por uma inflamação no órgão, a dor é aguda e tem como sintomas febre e perda de apetite
  • Útero: essas cólicas estão relacionadas ao período menstrual ou condições como endometriose e cistos no ovário
Ter uma alimentação balanceada é fundamental para equilibrar a flora intestinal (Foto: Getty Images)

Como evitar que a flora intestinal se desequilibre

A dica de ouro para manter a flora intestinal sempre em equilíbrio é prezar por uma alimentação balanceada. Dessa maneira, dores abdominais e outros problemas de saúde ligados ao trato gastrointestinal ficarão longe do seu dia a dia. E, falando em comidas, existem as que já são probióticas e colaboram para uma microbiota saudável: kefir, picles, iogurte e leite fermentado fazem parte da lista que toda a família pode consumir.

O uso de probióticos também pode ajudar (e muito!) nessa missão. Para ter maior praticidade e acompanhar o ritmo da família, Enterogermina já vem pronto para beber e pode ser consumido direto do flaconete. Ele não contém glúten, lactose, gosto e corantes e possui tripla ação: equilibra, restaura a flora e fortalece a defesa.¹ Além disso, cada recipiente contém 5 ml da suspensão com esporos de Bacillus clausii.

Fontes: dr. Rogério Camargo Pinheiro Alves, gastroenterologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, pai de Maria Luiza e Nina; dr. André Augusto Pinto, cirurgião geral e cirurgião bariátrico da Clínica Gastro ABC, e Dr. Gustavo Patury, pai de Nathália

1. Uma flora intestinal equilibrada promove um ambiente desfavorável para bactérias patogênicas, promovendo a saúde intestinal. Paixão & Castro, 2016. DOI: 10.5102/ucs.v14i1.3629.

ENTEROGERMINA® “O Bacillus clausii (probiótico) contribui para o equilíbrio da flora intestinal. Seu consumo deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.” NÃO CONTÉM GLÚTEN. Leia atentamente o rótulo.

MAT-BR-2103633