Família

Dormir no mesmo quarto que o bebê pode ser prejudicial para a mãe e explicamos o motivo

Um estudo avaliou os impactos na a rotina do sono das mulheres

Emily Santos

Emily Santos ,filha de Maria Teresa e Francisco

Mães que dormem com o bebê têm mais chances de sofrer depressão (Foto: Getty Images)

Um estudo realizado pela Penn State University, nos Estados Unidos, revelou que o hábito da mãe de dormir no mesmo quarto e na mesma cama que o filho pode trazer sérias consequências para a saúde mental da mãe.

Isso porque, depois de avaliar os hábitos de sono de 103 mulheres durante 6 meses, os pesquisadores notaram que as mães que dormiam no mesmo quarto que o filho ou mesmo dividiam a cama com a criança têm mais chances de sofrer depressão.

Das mulheres acompanhadas, as que dormiram com os filhos se sentiam 76% mais deprimidas e 16% mais jugadas do que as que colocavam os filhos para dormir em quartos separados.

No entanto, o estudo publicado na revista científica Infant and Child Development, assume que nem todos os pais têm em casa mais de um quarto para dar ao filho um espaço próprio. Os pesquisadores também destacam que não têm a intenção de julgar os hábitos familiares ou dizer o que é bom ou ruim, e sim esclarecer que cada membro da família pesquisa buscar uma rotina de sono individual e agradável.

Eles também afirmam que é importante para a mãe e o filho ficarem juntos nos primeiros meses de vida do bebê, até para estabelecer um laço, no entanto é preciso resguardar um tempo e espaço separados para não abrir mão de sua individualidade.

Leia também:

Estudo revela que a idade avançada do pai causa efeitos negativos na saúde do bebê

Estudo explica porque a mãe influencia mais na fé do filho do que o pai

De mãe pra mãe: estudo mostra como a troca de experiências com a sua amiga incentiva a amamentação