“É a terceira localizada”, diz pesquisador após encontrar cobra rara dentro de cativeiro em São Paulo

A jiboia-do-ribeira, da espécie Corallus cropanii, é considerada uma das mais raras do mundo

Resumo da Notícia

  • Uma cobra rara foi encontrada dentro de um cativeiro em São Paulo
  • A jiboia-do-ribeira, da espécie Corallus cropanii
  • A cobra é a terceira encontrada desde 2017

Uma cobra raríssima foi encontrada dentro de um cativeiro em Sete Barras, no interior de São Paulo. A jiboia-do-ribeira, da espécie Corallus cropanii, é considerada uma das mais raras do mundo. O analista ambiental, Carlos Roberto Abrahão explicou ao portal do G1 neste sábado (26) que este é apenas o terceiro espécime encontrado vivo desde 2017.

-Publicidade-

Em 2017, após 60 anos de procura, pesquisadores do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo e do Instituto Butantan encontraram, também no Vale do Ribeira, um exemplar macho da jiboia-do-ribeira. Em 2020, outro espécime foi achado “sem querer” em Sete Barras. A cobra encontrada na última quinta-feira é um macho adulto, que, de acordo com o ICMBio, aparenta estar em boas condições. Ela estava em um cativeiro na casa de um homem no bairro Guapiruvu.

A cobra rara é a terceira encontrada desde 2017
A cobra rara é a terceira encontrada desde 2017 (Foto: Reprodução/G1)

O local foi descoberto graças a uma denúncia de vigilantes do Parque Estadual Intervales (PEI). Os profissionais observaram um movimento suspeito de um homem saindo da mata, na Área de Preservação Ambiental (APA) da Serra do Mar. Após investigação, a equipe de fiscalização da Fundação Florestal encontrou a cobra em uma caixa, na residência do suspeito. O animal foi resgatado, a Polícia Militar Ambiental foi acionada e multou o homem em R$10 mil.

“Ela não era uma espécie totalmente ausente, mas a gente não tinha tido contato com um indivíduo vivo. Desde a sua descrição, na década de 1960, ela foi considerada uma espécie realmente bastante rara”, disse Carlos, que também é médico veterinário do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Répteis e Anfíbios (RAN), ligado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e coordena o plano de ação nacional para conservação de répteis ameaçados da Mata Atlântica da região Sudeste.