;
Família

Educação que transforma: conheça a APAF, associação que tem creches gratuitas para famílias carentes

Desde 2004, a associação realiza projetos de educação e inclusão com crianças e mulheres em situação de vulnerabilidade social

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

Desde 2004, a APAF realiza projetos de de educação e inclusão com crianças e mulheres em situação de vulnerabilidade social (Foto: Jennifer Detlinger)

Desde 2004, a APAF realiza projetos de de educação e inclusão com crianças e mulheres em situação de vulnerabilidade social (Foto: Jennifer Detlinger)

Ao fazer o caminho para levar os filhos à escola, um grupo de pais se deparava diariamente com um choque de realidades e classes. Eles recebiam uma educação de excelência na Stance Dual – um colégio bilíngue de alto padrão em São Paulo, no bairro da Bela Vista, protegido por muros altos e seguranças uniformizados – e passavam o dia todo cercados de árvores e cuidados. Enquanto isso, naquela mesma rua, outras crianças viviam suas tardes mendigando nos semáforos, sem abrigo, escola ou comida.

Foi esse enorme contraste social que motivou mães e pais a criarem a APAF, Associação Paulista de Apoio à Família. “O inconformismo foi crescendo e vimos que era necessário reparar a injustiça entre nossos filhos e essas crianças, predestinadas a uma vida miserável”, conta Cínthia Castro, uma das fundadoras da associação.

Em 2004, o grupo se juntou de vez e alugou uma casa na mesma rua da escola que os filhos frequentavam. Por lá, fizeram uma reforma e adaptaram todo o ambiente para as necessidades das crianças, como banheiros, cozinha e refeitório. Hoje, a APAF ajuda família em desvantagem social por meio de capacitação profissional de mulheres e do atendimento a crianças, usando educação como instrumento de inclusão social, formação para o mercado de trabalho e geração de renda. O projeto começou com apenas doze crianças, mas a procura das famílias foi tão grande que a associação fez um convênio com a Prefeitura de São Paulo para conseguir ampliar seu atendimento. Hoje, eles acolhem e cuidam de cerca de 200 crianças até 4 anos em dois centros de educação infantil, as Creches Aconchego I e II.

O Pátio Sonoro foi criado pelas próprias crianças (Foto: Jennifer Detlinger)

O Pátio Sonoro foi criado pelas próprias crianças (Foto: Jennifer Detlinger)

O mesmo processo pedagógico da Stance Dual é aplicado nas creches da APAF: em período integral, as crianças têm aulas de música, inglês, artes, leitura, além das matérias básicas estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. “Nossa creche se renova a partir dessas experiências vividas, das atividades realizadas, do trabalho e da dedicação das pessoas envolvidas”, explica Adriana Corbi, diretora da Creche Aconchego II. E são essas condições humanas, culturais, sociais e econômicas que contribuem para o desenvolvimento dos alunos e da comunidade ao redor das creches. “Nossa preocupação se estende à família como um todo. Nós sempre fazemos reuniões com os pais das crianças, além de eventos que englobam toda a comunidade”, explica Maria Clara Vergara, uma das fundadoras da associação.

Em 2006, a APAF criou o Espaço Iluminar, que promove atividades gratuitas de capacitação profissional para mulheres em situações de vulnerabilidade social, com renda de até meio salário mínimo. “Com o tempo, nós percebemos que não adiantava só educar as crianças, já que aos 4 anos elas saem da creche e precisam ir para as escolas municipais. Se a mãe não tem dinheiro para pagar a condução do filho até a aula e dar comida, a criança vai parar na rua”, diz Cínthia.

Em 2006, foi criado o Espaço Iluminar, que promove atividades gratuitas de capacitação profissional para mulheres em situações de vulnerabilidade social, com renda de até meio salário mínimo. “Com o tempo, nós percebemos que não adiantava só educar as crianças,  já que aos 4 anos elas saem da creche e precisam ir para as escolas municipais. Se a mãe não tem dinheiro para pagar a condução do filho até a aula e dar comida, a criança vai parar na rua”, diz Cínthia.

O importante é que a mãe se enxergue como protagonista de sua própria vida. Por isso, a APAF estimula a geração de renda com as mulheres, por meio de cursos de maquiagem, cabeleireiro, manicure e cuidador de idoso, por exemplo. “Nós queremos promover a autoestima e autonomia financeira da mulher, que desempenha um papel importante da família e na sociedade”, explica Maria Clara. Hoje, a eles já formaram mais de mil mulheres e beneficiam diretamente milhares de famílias com essas ações.

Todos aprendem brincando, da melhor forma possível (Foto: Jennifer Detlinger)

Todos aprendem brincando, da melhor forma possível (Foto: Jennifer Detlinger)

Como ajudar

Além de doações diretas, a APAF tem a campanha Adote uma Criança, onde é possível contribuir com 120 reais mensais para ajudar na manutenção dos serviços das creches e na educação dos alunos. Para mais informações, acesse www.apafsp.org.br.

Leia também:

Conheça “Min e as Mãozinhas”, o primeiro desenho animado em libras do YouTube

Aos 7 anos, menina com condição rara escreve livro para ensinar sobre respeito

Projeto Dodói permite tratamento mais humanizado para crianças com câncer