Em busca de uma vida melhor: mãe não vê mais o marido após se separarem em fronteira dos Estados Unidos

Mãe de dois filhos, Ivanete dos Santos Dias, fez um relato emocionante

Resumo da Notícia

  • Ivanete dos Santos Dias, fez um relato emocionante à Marie Claire;
  • A mãe de dois filhos narrou a saga para buscar uma vida melhor nos Estados Unidos;
  • Entre fronteiras, a mulher estava grávida e com um filho de 13 anos quando foi separada do segundo marido.

Ivanete dos Santos Dias, fez um relato emocionante à Marie Claire. A mãe de dois filhos narrou a saga para buscar uma vida melhor nos Estados Unidos. Entre fronteiras, a mulher estava grávida e com um filho de 13 anos quando foi separada do segundo marido.

-Publicidade-

“Ali estava eu: grávida, passando muito mal, na fronteira dos Estados Unidos, prestes a tentar entrar no país pela segunda vez. Foi quando começou um verdadeiro pesadelo na minha vida. Presa na imigração, tentei avisar aos agentes sobre a minha gravidez recém-descoberta. Disse que meu filho de 13 anos tinha nascido em 2005 nos Estados Unidos, fruto do meu primeiro casamento. Falei que, por isso, ao lado do meu segundo marido, buscávamos asilo em território americano. Não me deram ouvidos”, começa.

(Foto: Shutterstock)

A mulher revelou que as autoridades acreditavam que Marcelo, marido de Ivanete, estava tentando entrar no país às custas da mulher e após muita  pressão psicológica deixaram a mulher entrar nos Estados Unidos com o filho, mas o marido foi detido e levado para uma prisão federal. “Ali nos separamos e nunca mais o vi.”

Foram dias vivendo em uma tenda – abrigo da imigração – com o filho, até que foram liberados e encontraram familiares nos Estados Unidos. Sem saber do marido, a mãe grávida, enfrentou síndrome do pânico, crises de ansiedade e até depressão.

“Contei com a ajuda de muitas pessoas para tudo e, inclusive, para comer e sobreviver. Eu tentava ser forte em meio ao caos mas, às vezes, ficava arrasada, sem chão”. A mulher já não tinha como voltar ao Brasil – porque perdeu tudo para os homens que fizeram a transição ilegal da família.

No dia 28 de maio de 2020, às 14h30, nasceu Lara,  na cidade de Cambridge. Seu pai seguia preso no Texas e quase um ano depois foi deportado para o Brasil – quando conseguiu contatar a família. Atualmente, o casal consegue falar poucas vezes por telefone.

(Foto: Shutterstock)

A mãe vive com os filhos em um abrigo, onde recebe comida, auxílio financeiro e onde fez muitos amigos. “Sem ter como me manter nos Estados Unidos, nem onde morar com duas crianças, procurei, mais uma vez, o grupo que faço parte e várias pessoas me ajudaram a vir para um abrigo. Vamos levando nossa vida com dignidade”, contou a mãe.

Agora, depois de muitos desafios restam sonhos para a família: “Me sinto mais forte para lutar pelos nossos direitos e sempre repito pra mim mesma: ‘nós vamos vencer!’. Sonho em ter minha família reunida de novo, todos juntos na nossa casa. Poder retomar minha vida e me estabelecer aqui. Meu maior desejo é que meu marido possa vir pra cá e ficar de vez conosco. Que ele possa conhecer a filha pessoalmente”, conclui.