“Empreender no mundo materno é viver constantemente na vida de equilibrista”, afirma mãe

KUKI BAILLY COMPARTILHA AQUI HISTÓRIAS DE TRANSFORMAÇÃO E EMPREENDEDORISMO DO GRUPO REDEDOTS, IDEALIZADO POR ELA

(Foto: Acervo Pessoal)

Sabrina Grunwald é mãe de Marina e Felipe, e psicóloga. Depois de virar mãe resolveu colocar o espírito empreendedor em prática e assim nasceu a La Poupee Atelier.

Quando eu era pequena, adorava ver equilibristas e malabaristas. Ficava fascinada com aquela habilidade incrível de deixar tudo rodando no ar em harmonia, apesar do grande esforço, sem deixar nada cair. Hoje, me vejo muitas vezes equilibrando pratinhos e sentindo um orgulho danado por conseguir manter tudo girando. Às vezes um ou outro cai. Ok, faz parte do processo e isso mostra que não dá pra ter pratinhos demais.

Empreender no mundo materno é viver constantemente nessa vida de equilibrista. Quando me tornei mãe, em 2011, deixei pra trás uma carreira sólida no mundo corporativo para mergulhar de cabeça nesse novo papel. Dois anos e dois filhos depois, Marina e Felipe, tantas dores, delícias e muito aprendizado, decidi que era hora de retomar o trabalho, mas dessa vez num outro formato. Parti pra carreira solo como psicóloga clínica (minha área de formação e que tanto amo), buscando mais flexibilidade de horários para continuar acompanhando meus filhos de perto

O espírito empreendedor já estava em mim e, junto com o nascimento da minha menina, veio uma vontade enorme de trabalhar com algo relacionado ao universo infantil. Minha filha foi a grande inspiração para, anos depois, eu e minha sócia Isabella Foz Forte, criarmos a La Poupee Atelier, uma confecção de roupas infantis totalmente handmade, pensada com muito carinho e cuidado em cada detalhe. Uma marca que veste criança com roupa de criança, com cara de infância.

Foi quase um resgate da minha brincadeira preferida da infância, que era trocar as roupas das bonecas. Sonho realizado, colocamos esse pratinho pra girar. Mas como fazer o pratinho girar junto com todos os outros, tão importantes quanto esse, sem deixar cair nem perder o ritmo? Frio na barriga. Trabalho (muito trabalho), uma sócia maravilhosa e rede de apoio. Esse é o grande barato do empreendedorismo materno, poder contar com uma rede de apoio, formada por outras mães, por outros empreendedores e por gente disposta a ajudar e colaborar. Fazer parte da Rede Dots me mostrou tudo isso. Hoje, sigo com meus projetos profissionais e tenho um carinho especial pela La Poupee, que cresce a cada dia à base de muita dedicação.

Minha filha continua me inspirando e agora, com quase 8 anos, participa ativamente do negócio, opinando nos modelos e fotografando grande parte das peças. Já nem dou conta de entender o quanto já a ensinei com tudo isso! Por isso, encorajo quem deseja seguir esse caminho, que o faça com dedicação e amor. E que procure uma rede de apoio que faça a diferença no seu caminho, como eu encontrei.

Leia também:

“Empreender é o que nós fazemos juntos, como família”, afirma mãe

Relato de mãe: “Viemos sem cama, mesa, um real no bolso e com um bebê na barriga”

Mãe larga tudo para ficar com os filhos: “Posso crescer e me expandir”