;
Família

Enfermeira cuida de bebê abandonada e decide adotá-la: “Senti que precisava amar essa criança”

Liz Smith revelou que sempre quis ter um filho e que Gisele apareceu em sua vida no momento certo

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

“Depois de 553 dias compartilhando nosso amor e nossa casa, hoje nós compartilhamos nosso último nome” (Foto: Reprodução / The Washington Post / Ashley Pizzuti)

Liz Smith, diretora de enfermagem do Franciscan Children’s Hospital, em Massachusetts, se apaixonou por uma bebê de 8 meses.

“Quem é esse lindo anjo?”, perguntou Liz à uma das enfermeiras. A mulher respondeu que o nome da menina era Gisele. Esse encontro fez com que Liz criasse muitas expectativas para a maternidade, aumentando mais ainda sua vontade de ter um filho.

Nascida prematuramente em outro hospital, Gisele estava abaixo do peso e sofria de síndrome de abstinência neonatal, uma consequência do fato de sua mãe biológica usar heroína e cocaína durante a gravidez.

O estado de Massachusetts assumiu a custódia de Gisele quando ela tinha 3 meses de idade, transferindo-a para o Franciscan Children, porque ela precisava de cuidados especializados nos pulmões.

Porém, sem ter um único visitante em 5 meses, Gisele estava prestes a entrar no sistema de assistência social – até Liz chegar. “Desde o momento em que eu a conheci, havia algo por trás de seus olhos azuis”, ela disse ao The Washington Post. “Senti que precisava amar essa criança e mantê-la segura”.

Liz adotou Gisele após perceber que ela não estava recebendo visitas no hospital (Foto: Reprodução / The Washington Post / Carla Kath)

Em abril de 2017, quando Gisele fez 9 meses, Liz conseguiu uma permissão para levá-la para casa – sabendo que o estado faria de tudo para reunir Gisele com seus pais biológicos.

Enquanto os pais biológicos de Gisele recebiam visitas supervisionadas semanais, mais tarde eles perderam os direitos parentais e Liz conseguiu adotar Gisele. Então, em 2018, uma juíza aprovou a adoção de Gisele e Liz assinou os documentos legais que certificavam que ela era mãe da menina.

“A música favorita dela é ‘You Are My Sunshine’ (você é o meu raio de sol, em português), Liz contou ao The Washington Post. “E toda vez que ela canta, eu penso: ‘você é mesmo'”.

Leia também:

Casal decide aceitar criança mais velha e processo de adoção dura muito menos que o esperado

Relato de adoção: “Guardo fotos e cartas da família biológica, ninguém possui seus filhos apenas para si”

Mãe solo faz relato emocionante sobre adoção: “Eu escolho ela. Toda vez”