Família

Entenda o motivo pelo qual você anda tomando choques em todo lugar e saiba como proteger as crianças em casa

O especialista, Tarcisio Marciano da Rocha Filho, dá dicas de como evitar a descarga elétrica

Maria Luiza Cardone

Maria Luiza Cardone ,Filha de Carla e Luiz

Proteja seus filhos de choques (Foto: Reprodução/ Gettyimages)

É muito comum que você leve um choque ao encostar em uma superfície metalizada ou em alguma pessoa. Por mais que o metal seja um dos principais condutores de carga elétrica, está cada vez mais comum essa situação acontecer diversas vezes no seu dia.

Tudo isso acontece por que constantemente fazemos uma troca de corrente elétrica. “No dia a dia, nosso corpo vai acumulando energia, principalmente por causa do atrito”, afirma o professor de física da Universidade de Brasília (UnB), Tarcisio Marciano da Rocha Filho. “Aí, quando estamos muito carregados e encostamos em alguma coisa ou alguém com uma diferença de carga elétrica, a tendência é que haja uma troca de elétrons, formando uma corrente: o choque”.

Há alguns materiais que funcionam como isolante elétrico e impedem que a carga descarregue em você e, consequentemente, leve um choque. Entre esses materiais, estão: sola de borracha, roupa de lã e tecidos sintéticos. Ou seja, se você quer evitar essa corrente em seu corpo, é aconselhável que use essas dicas no dia a dia.

O professor exemplifica: “O carro em movimento acumula elétrons e os pneus de borracha isolam essa carga, ou seja, a carcaça não descarrega. Aí, quando você desce e coloca sua mão na porta, você fecha o circuito, acontece a transição de elétrons, e você sente a corrente elétrica”.

O caso piora em tempo seco, isso porque o ar seco proporciona acúmulo de eletricidade estática. “A água é um ótimo condutor de eletricidade, então, em uma chuva, o carro descarrega”, diz Tarcisio.

Outra dica para evitar os choques é aumentar a área de contato. Quanto menos você encostar no objeto, mais choque leva. O ideal seria tocar com a mão inteira e encostar os braços e pernas na superfície. Quanto maior a área de contato, maior será a distribuição da carga elétrica, ou seja, faz com que sinta menos o impacto.

Saiba como proteger seu filho de levar choque na tomada

Esse deveria ser um dos assuntos de maior atenção da sua casa e vamos te mostrar o porquê: de acordo com o Datasus, o número de crianças mortas em 2016 por conta de choques, eletrocussões, queimaduras e outras lesões relacionadas à exposição a correntes elétricas foi 107 – e a quantidade de internações infantis pelo mesmo motivo foi de 223 em 2017.

Mas, calma. Os números não são para assustar, e sim para trazer mais cuidado. Se caso alguém da sua casa levar um choque, leve ao hospital imediatamente. Dependendo do grau, a pessoa pode ficar desacordada e, em casos extremos, pode acabar presa na tomada.

Se isso acontecer, nada de tentar tirá-la usando as mãos – a recomendação dos bombeiros é usar um cabo de vassoura para evitar que você também leve um choque. Para prevenir o acidente com seus filhos, esconda tomadas atrás de móveis ou coloque protetores de plástico.

“A dica é prendê-los com fita isolante ou esparadrapo. Assim, ficam mais firmes e não deixam a criança tirar a proteção”, explica Gabriela Freitas, gerente-executiva da ONG Criança Segura.

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos:

Leia também:

Sempre alerta! Saiba porque você não deve tomar remédios na frente dos seus filhos

Sempre alerta: rede de proteção tem validade!

Menino morre uma semana após nadar em piscina por afogamento secundário