Entenda porque você nunca deve usar alimentos como recompensa para seu filho

Promessas de sobremesa podem atrair as crianças a comerem vegetais, mas isso também pode ter o efeito contrário

Vamos ser sinceros: os subornos geralmente funcionam, resultando em mais refeições ou em uma criança provando aspargos (Foto: Getty Images)

Você está na mesa de jantar totalmente frustrada porque seu filho recusa em comer, experimentar algo novo ou dar mais uma mordida. Então você balança algo atraente na frente dele: a promessa de um sorvete, um brinquedo que ele quer ou até dinheiro vivo.

-Publicidade-

Nesse momento, você não está necessariamente orgulhosa do que está fazendo – mas está desesperada. E vamos ser sinceros: os subornos geralmente funcionam, resultando em mais refeições ou em uma criança provando aspargos. Mas, embora o suborno possa conter os ganhos de curto prazo, é uma estratégia inteligente a longo prazo? Depende.

Em alguns casos, recompensar as crianças por experimentar novos alimentos (ou ingerir mais tipos de alimentos como vegetais) pode ajudá-los a descobrir novas comidas favoritas ou criar o hábito de comer esses alimentos com mais frequência. Em um estudo, crianças em idade escolar que receberam um incentivo para comer frutas e vegetais comeram mais deles – e continuaram a comê-las semanas depois, quando os incentivos acabaram.

-Publicidade-
Estudos descobriram que, quando os pais usam a comida como recompensa ou castigo, é mais provável que as crianças prefiram alimentos com alto teor de gordura e açúcar (Foto: Getty Images)

Mas o suborno também pode sair pela culatra. Por exemplo, quando a sobremesa depende de comer vegetais, as crianças podem começar a ver os vegetais como uma coisa nojenta que precisam passar para conseguir algo bom. Na pesquisa, as crianças que foram solicitadas a consumir um tipo preferido de suco para acessar uma atividade divertida passaram a gostar cada vez menos do suco.

As principais organizações de saúde, como a Academia Americana de Pediatria e a Academia de Nutrição e Dietética, alertam sobre recompensas alimentares em geral – por bom comportamento ou por comer vegetais, por exemplo. Estudos descobriram que, quando os pais usam a comida como recompensa ou castigo, é mais provável que as crianças prefiram alimentos com alto teor de gordura e açúcar (como os que costumam ser usados ​​como recompensa). Um estudo da revista Eating Behaviors descobriu que os adultos que se lembravam de seus pais usando comida como recompensa ou punição eram mais propensos a relatar problemas com comida como compulsão alimentar e restrição de alimentação.

  • Conclusão

Se seu filho acha motivador receber incentivos não alimentares – como um adesivo ou até um quarto – para experimentar novos alimentos, tudo bem. Divertir-se com a comida é uma coisa boa. Os subornos com doces, por outro lado, não são. Portanto, evite usar os alimentos como recompensa (ou punição).

Leia também:

Você sabia? Sua alimentação na gravidez pode alterar o DNA do bebê

A alimentação do seu filho é responsabilidade sua!

Boa alimentação no pós-parto também é essencial

-Publicidade-