Escola muda nome social de criança por considerar a pronúncia difícil e mãe rebate decisão

Mahinarangi Tautu, de 5 anos, foi batizada em homenagem a uma tribo Maori da Nova Zelândia, mas é chamada de “Rangi” pelos professores e colegas

Resumo da Notícia

  • Uma mãe ficou revoltada após a escola da filha mudar o nome social da criança por considerá-lo difícil demais para ser pronunciado
  • Mahinarangi Tautu, de 5 anos, foi batizada em homenagem a uma tribo Maori da região central da Nova Zelândia
  • A menina está sendo chamada de “Rangi” pelos professores e colegas

Uma mãe ficou revoltada após a escola da filha mudar o nome social da criança por considerá-lo difícil demais para ser pronunciado. A pequena Mahinarangi Tautu, de 5 anos, foi batizada em homenagem a uma tribo Maori da região central da Nova Zelândia, apesar de ser chamada de “Rangi” pelos professores e colegas. A mãe, Paris, deu uma entrevista para o portal News.com.au. afirmando que não vai deixar que isso aconteça.

-Publicidade-
A mãe da menina não quer permitir que ela seja chamada por um apelido, ato desrespeitoso para os Maori (Foto: Reprodução / Facebook)

“Estou triste que em 2021, em Aotearoa, uma menina de 5 anos tenha perdido o orgulho que vem com seu lindo nome”, escreveu a mulher em um post no Facebook. Ela explica que o nome de Mahinarangi é muitas vezes mal pronunciado e ridicularizado pelas outras crianças, deixando a jovem “envergonhada” e sem confiança para corrigir alguém.

“Você consegue imaginar seu filho com vergonha de dizer o nome porque as pessoas não fazem um esforço decente para pronunciá-lo corretamente?”, escreveu Paris na publicação. A mãe se mostrou indignada e disse que os seus pais haviam vivido a mesma situação na infância, o que a deixou mais determinada a resolver o dilema.“Meus ancestrais mudaram seu nome original de Perepe-Perana para Phillips por causa da colonização. Não vou deixar algo semelhante acontecer com a minha filha”, disse.

Segundo as crenças Maori, o nome de Mahinarangi significa “lua no céu”. Reduzir um nome é uma ofensa para pessoas dessa cultura, já que as primeiras sílabas são chamadas de “mana” e carregam o poder espiritual herdado da família.“Seu nome é sua identidade. Seus pais lhe deram seu nome por um motivo”, finaliza Paris nas redes sociais.