Escolas do Estado de SP voltam a pedir o uso de máscara em crianças: veja quais são e o motivo

Com o aumento de casos de covid-19, algumas escolas da capital paulista e do interior voltaram a pedir o uso de máscara em crianças e adolescentes

Resumo da Notícia

  • O Governo do Estado de São Paulo informou que, na última terça-feira, 17 de maio, foram registrados cerca de 4.671 novos testes positivos para a doença em todo território paulista
  • Além disso, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, São Paulo registrou 5,6% de aumento de infectados no mês de maio
  • Por conta do aumento de casos de covid-19, algumas escolas da capital paulista e do interior, voltaram a pedir o uso de máscara em crianças e adolescentes

Após o aumento de casos de covid-19, algumas escolas paulistas voltaram a pedir o uso de máscara em crianças e adolescentes. Segundo dados informados pelo Governo do Estado de São Paulo, durante a última terça-feira, 17 de maio, foram registrados cerca de 4.671 novos testes positivos para a doença em todo o Estado de SP. Embora o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras sirva tanto para ambientes escolares quanto outras localidades, determinadas instituições educacionais solicitaram o retorno do uso do equipamento de proteção contra a covid-19.

-Publicidade-
Escolas de São Paulo suspendem aulas e exigem uso de máscaras após aumento de casos de covid-19
Escolas de São Paulo pedem a volta do uso de máscara após aumento nos casos de covid-19 (Foto: Getty Images)

Em paralelo às doenças respiratórias de inverno, que impactam diretamente no bem-estar das crianças e adolescentes, as escolas temem pela proliferação descontrolada da doença pandêmica, bem como um novo surto de covid-19 entre os menores de idade. Além disso, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a capital paulista registrou 5,6% de aumento de infectados no mês de maio, considerando ainda um cenário de baixa testagem.

Cidades de SP pediram a volta do uso de máscara em crianças e adolescentes 

Ribeirão Preto

A Prefeitura de Ribeirão Preto, município do interior de São Paulo, divulgou uma nota à imprensa indicando o aumento da circulação dos vírus nas escolas públicas e privadas da cidade. Segundo o alerta epidemiológico da Secretaria Municipal da Saúde, o novo cenário tornou-se preocupante diante da forte possibilidade de subnotificação dos casos, visto que, nem todas as pessoas realizam o exame confirmatório. Embora o município esteja avançado na vacinação e focado na redução de casos, os profissionais da Prefeitura fizeram um alerta com  o objetivo de garantir a segurança de alunos, professores e servidores.

“É sabido que os sinais e sintomas da covid-19 podem ser confundidos com uma série de outras doenças comuns, principalmente, no período do outono-inverno que marca a sazonalidade do vírus influenza e do vírus sincicial respiratório, o que torna o seu diagnóstico ainda mais desafiador”, disse nota da Prefeitura de Ribeirão Preto.

Como medida de proteção à população, a Secretaria Municipal da Saúde orienta que as escolas devem notificar imediatamente à Vigilância Epidemiológica Distrital, quando tiverem conhecimento de dois ou mais casos de covid-19 na instituição de educação – sendo suspeitos ou confirmados, corridos entre os alunos, professores e funcionários – em um intervalo de tempo menor ou igual a 14 dias.

Além disso, com o intuito de evitar a disseminação da doença e ocorrência de surtos que possam gerar prejuízos à educação, a Prefeitura de Ribeirão Preto recomenda o uso de máscaras em todo o ambiente escolar, para alunos (com 2 anos ou mais, com exceção das contraindicações formais do uso de máscara), docentes, funcionários e visitantes – independente do estado vacinal, juntamente com a vacinação para a proteção contra à covid-19.  Algumas escolas da cidade já enviaram comunicados aos pais de aluno pedindo que levem as crianças já com máscara para escola.

Aguaí

A Prefeitura de Aguaí, município que fica há cerca de 2h de Ribeirão Preto, determinou obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial dentro das escolas da cidade, após o aumento de casos de covid-19. A nova determinação está valendo deste a última sexta-feira, 13 de maio. Segundo o último boletim divulgado, Aguaí somava 6.378 casos de covid-19, entre eles, 142 mortes. Os casos cresceram cerca de 78% em 20 dias.

De acordo com o prefeito José Alexandre Pereira de Araújo (PSDB), ele recebeu um ofício da Vigilância em Saúde alertando sobre um surto de síndrome gripal em uma instituição educacional, além de validar o ressurgimento de doenças de transmissão por vias respiratórias, por conta do ano.

Campinas

As máscaras podem voltar a ser obrigatórias nos locais fechados das escolas de Campinas. Na última quinta-feira, 12 de maio, o Comitê Municipal de Enfrentamento da Pandemia de Coronavírus de Campinas divulgou uma nota técnica em que recomenda a permanência da obrigatoriedade do item de proteção.

O pedido veio depois que, no 9 de maio, os vereadores da cidade aprovaram uma lei que desobriga o uso das máscaras em todos os ambientes escolares, tanto abertos como fechados. Para ler na íntegra, basta entrar na nossa matéria clicando aqui.

São Paulo

Segundo informações e entrevistas concedidas ao jornal O Estado de S. Paulo, algumas instituições educacionais da capital paulista solicitaram que os alunos voltassem a usar máscara em sala de aula. No mais, houve escola que, em prol da saúde e segurança dos estudantes, suspendeu as aulas em decorrência de novos casos positivos de covid-19 entre os alunos.

A Escola Nossa Senhora das Graças, popularmente conhecida como “Gracinha” – que fica localizada no Itaim Bibi, na Zona Sul de São Paulo, informou que as atividades chegaram a serem suspensas no Ensino Médio e a concentração de casos nesta faixa etária aparenta estar relacionada às festas realizadas aos finais de semana. O diretor Wagner Borja explicou: “Tivemos um aumento de casos em meados de abril, chegamos a suspender as atividades presenciais por três dias, antes do feriado da Páscoa. Retomamos a obrigatoriedade do uso de máscaras em sala. Após essas medidas, houve um retorno para o patamar anterior”.

O Colégio Bandeirantes, localizado na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, também tomou novas medidas para evitar o contágio de covid-19 entre os alunos. Por meio de um comunicado reforçando a importância do uso da máscara no ambiente escolar, a diretoria disse: “Notamos um aumento nos números de casos e, consequentemente, turmas foram fechadas. Dentro desse cenário, recomendamos fortemente a utilização de máscaras nas dependências da escola. Pedimos, mais uma vez, a todos, que não venham sintomáticos para o colégio”.

Máscaras podem voltar a ser obrigatórias em locais fechados nas escolas de Campinas
Máscaras voltar a ser usadas em escolas públicas e privadas de São Paulo (Foto: Getty Images)

Já o Colégio Stocco, de Santo André, na Grande São Paulo, informou que mesmo que a máscara não seja mais obrigatória, alguns alunos e docentes optam por continuar utilizando o material de proteção. “A máscara não é mais obrigatória, mas boa parte da comunidade escolar prefere continuar utilizando-a. Outras ações de higiene tornaram-se habituais e continuam sendo fortalecidas, tais como o uso de álcool em gel e lavagem permanente das mãos. As enfermeiras do colégio estão sempre atentas a qualquer sintoma que possa inspirar cuidados e as famílias são imediatamente contatadas, a fim de que possam tomar providências e realizar o exame para descartar covid e comunicar ao colégio”, afirma a direção.

O papel das máscaras na proteção contra a covid-19

Mas, afinal, qual é a importância do uso de máscaras para a proteção contra a covid-19? A Dra. Letícia Kawano-Dourado, mãe de Inácio e Lúcia, médica pneumologista e pesquisadora que assessora a Organização Mundial da Saúde (OMS) na elaboração de diretrizes no tratamento do coronavírus, contou, em entrevista à Pais&Filhos, um pouco sobre a relevância do uso da máscara. “Ela não a única medida, mas tem sim papel central, junto com a ventilação do ambiente. As duas medidas mais importantes e que garantem maior segurança das pessoas nesses tempos de isolamento”, ressalta ela.

Na entrevista, ela também contou um pouco mais especificamente sobre o uso de máscara para as crianças e disse qual é a melhor máscara para os mais novos. Para ler na íntegra, basta entrar na nossa matéria clicando aqui.