Família

Escritor desabafa depois de ouvir que não era amado pela mãe

Ele tinha apenas 11 anos quando ouviu esse pela primeira vez e isso mudou a vida dele

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

Simon sofreu muito na infância por conta disso (Foto: Reprodução/Twitter @simondawson)

Quando tinha apenas 11 anos, Simon Dawson ouviu da mãe que ela não o amavam que queria entregá-lo para viver com a tia. De fato, essas não são coisas para se dizer à uma criança, mas isso mudou a história de Simon para sempre, que hoje é casado e transformou sua vida em um livro de sucesso.

Simon, hoje, tem 51 anos e escreveu um resumo da história que deu vida ao livro “The boy without love” ou “O menino sem amor” no site do periódico britânico, Mirror. O autor começa desde o momento do nascimento até quando conheceu Debbie, atual esposa.

“Quando minha mãe deu à luz e olhou para mim, ela disse que não sentia nada. É claro que hoje em dia as mulheres são instruídas a não se preocuparem se não se ligarem instantaneamente ao filho, para que isso aconteça gradualmente. Então lá estávamos nós, os três de nós sentados na cama do hospital – mamãe, papai e eu”, começa.

A história 

Depois explica como um homem de 51 anos pode saber de tantos detalhes sobre a sua infância. “Eu sei muito do que aconteceu a seguir porque ela foi bastante aberta sobre isso. Certa manhã, quando eu tinha 11 anos, mamãe me contou que tinha ido a um psiquiatra“.

“Ela disse: ‘Ele não falou muito, ficou ali sentado fumando em sua grande poltrona de couro. Eu disse a ele que não te amava e não me relacionei com você.’ Parece estranho agora pensar que ela iria conversar com tanta calma e abertamente sobre isso, mas para ela não era grande coisa, era apenas normal”.

Simon também relata como a mãe contou sobre o fato de que ela queria o entregar para a irmã dela. “‘Sua tia pagou pelo psiquiatra’, disse ela. ‘Ela estava preocupada conosco e eu esperava que ela pudesse te levar embora e ser sua nova mãe. Mas no final ela disse não'”.

Simon viu a falta de amor da mãe como um fator transformador (Foto: Reprodução/Twitter @simondawson)

A mudança de vida 

“Noite após noite, eu deitava na cama ouvindo os namorados da mãe darem um soco e chutá-la, e pela manhã nos sentávamos tomando café e comendo torradas enquanto ela tentava cobrir os hematomas e cortes com a maquiagem. Se eu tentasse falar com ela sobre isso, ou dizer a ela como estava com medo, ela me dizia para calar a boca”.

“Em outras manhãs ela simplesmente sorria e diz com toda a naturalidade: ‘Você sabe que eu não amo você, não sabe? Você entende o que isso significa?’. Saí da escola e de casa aos 15 anos, vivi sozinho e saí para o trabalho“.

“Eu estava com medo de que, se minha mãe não pudesse me amar, ninguém nunca iria. Então eu tomei uma decisão, eu decidi me tornar outra pessoa. Com muito cuidado, juntei todos os fragmentos de “eu” que pude encontrar, cada pedacinho da minha personalidade, meu caráter, minha essência e tranquei em um armário mental.  Substitui por alguém completamente novo. Foi a minha única saída”.

“A única maneira que eu poderia imaginar que eu poderia ser amado. Me mate e me substitua por alguém melhor. Funcionou. Eu tenho 51 anos e tenho sido muito feliz casado com Debbie, minha alma gêmea, por mais de 28 anos”.

E encerra dizendo que gostaria que as coisas acontecessem de outro jeito. ” Por que ela não podia me amar? Era eu, ela ou nós dois? Mesmo aos 51 anos, gostaria que minha mãe me amasse. O maior passo foi escrever tudo. Eu precisava seguir em frente, e meu livro era o meu jeito de tentar fazer isso”.

Leia também: 

Samara Felippo desabafa nas redes sociais: “Eu amo minhas filhas, mas não amo tanto ser mãe”

Você não está sozinha! 7 confissões de mães que partem o coração

E quando os avós não ligam para os netos?