Espécie de ave que inspirou o desenho animado ‘Pica-Pau’ será extinta

A espécie pica-pau-bico-de-marfim será declarada extinta nos Estados Unidos, após alterações climáticas do país

Resumo da Notícia

  • Pica-pau-bico-de-marfim será declarada extinta nos Estados Unidos
  • Outras 22 espécies de animais também estão na lista de extinção no país
  • Condições climáticas e atividades humanas podem corroborar para o desaparecimento desses animais

Nesta quarta-feira (29), o governo dos Estados Unidos anunciou a extinção do pica-pau-bico-de-marfim (Campephilus melanoleucos), espécie que inspirou o desenho Pica-Pau‘. Além dela, outras 22 espécies de pássaros, peixes, mexilhões e animais selvagens também estão na lista, segundo o jornal New York Times.

-Publicidade-
O pica-pau-bico-de-marfim que inspirou o desenho animado 'Pica-Pau' será declarado extinto
O pica-pau-bico-de-marfim que inspirou o desenho animado ‘Pica-Pau’ será declarado extinto nos EUA (Foto: Reprodução / G1)

“Para as espécies propostas para exclusão hoje, as proteções da Lei das Espécies Ameaçadas chegaram tarde demais, com a maioria extinta, funcionalmente extinta ou em declínio acentuado no momento da listagem”, afirmou o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA.

Cientistas do governo não mediram esforços para encontrar as espécies declaradas extintas, de acordo com a agência de notícias Associated Press. Declararam também que o desaparecimento se torna mais comum, quando há mudanças climáticas e outros acontecimentos na natureza.

“As circunstâncias de cada um também destacam como a atividade humana pode levar ao declínio e extinção de espécies, contribuindo para a perda de habitat, uso excessivo e a introdução de espécies invasivas e doenças. Os impactos crescentes das mudanças climáticas são esperados para exacerbar ainda mais essas ameaças e suas interações”, relatou a agência de vida selvagem.

Segundo o US Fish and Wildlife Service, quase 3 bilhões de pássaros foram extintos na América do Norte, desde 1970. “Isso é um lembrete desalentador que a extinção seja uma consequência da mudança ambiental causada pelos humanos”, acrescentou Bridget Fahey, responsável por supervisionar a classificação de espécies Serviço de Peixes e Vida Selvagem.