Estado de calamidade: decreto de quarentena fecha portas de todos os serviços não essenciais

João Dória informou que a partir da próxima terça-feira, 24 de março, até 7 de abril, essas medidas estarão valendo para impedir a disseminação do coronavírus

Resumo da Notícia

  • Governador João Dória atualizou o decreto de quarentena
  • Estabelecimentos não essenciais serão fechados por 15 dias
  • Medida visa impedir disseminação do coronavírus

-Publicidade-

No último sábado, 21, durante uma transmissão ao vivo, o Governador de São Paulo João Dória informou quais serão os próximos passos e atitudes tomadas para conter a disseminação do novo coronavírus. O decreto de quarentena está ainda mais restrito.

A partir da terça-feira, 24, até o dia 7 de abril (um período de 15 dias), todos os estabelecimentos de serviços e comércio não essenciais fecharão. A medida vale para todo o estado de São Paulo.

-Publicidade-

Estabelecimentos considerados essenciais são os das áreas de saúde pública e privada, alimentação, segurança, abastecimento e limpeza.

Poderão ficar abertos, então: hipermercados e mercados, padarias e açougues, hospitais, farmácias, clínicas e clínicas odontológicas, armazéns, postos de gasolina, oficinas de automóveis, serviços de transporte público (ônibus, metrôs e trens), lojas de pet shop, bancas de jornais, bancos e lotéricas. Todo o sistema de segurança pública e privada operam normalmente.

 

-Publicidade-