Estudo indica que contaminação por coronavírus é mais provável dentro de casa do que fora

Apesar do estudo, o isolamento social é um medida eficaz contra a disseminação do vírus. Portanto, manter as pessoas em casa é um jeito de diminuir a velocidade da progressão da doença

Resumo da Notícia

  • A contaminação por covid-19 é mais provável entre moradores de uma mesma casa do que em contato com pessoas fora dela
  • A taxa de infecção no domicílio foi maior em dois cenários: quando os primeiros casos confirmados ocorreram em adolescentes e em pessoas na faixa dos 60 e 70 anos
  • As medidas restritivas ajudam a diminuir a curva de pessoas infectadas, respeitar essas medidas é necessário para desacelerar o avanço da doença
O estudo também analisou a faixa etária de pessoas infetadas  (Foto: Getty Images)

A contaminação por covid-19 é mais provável entre moradores de uma mesma casa do que em contato com pessoas fora dela, de acordo com estudo publicado pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), dos Estados Unidos. As informações são da Reuters.

-Publicidade-

Segundo a Uol, a pesquisa analisou 5.706 pacientes que haviam sido diagnosticados com o novo coronavírus e mais de 59 mil pessoas que entraram em contato com eles. As descobertas mostraram que apenas duas em cada 100 pessoas infectadas contraíram o vírus em contatos fora de casa, enquanto uma em cada dez pessoas ficaram doentes com as  próprias famílias.

Apesar do estudo, o isolamento social é um medida eficaz contra a disseminação do vírus, pois quando se trata de doenças respiratórias, a aglomeração ajuda na proliferação. Então, afastar as pessoas é um jeito de diminuir a velocidade da progressão da doença. As medidas restritivas ajudam a diminuir a curva de pessoas infectadas, respeitar essas medidas é necessário para desacelerar o avanço da doença, causada pelo novo coronavírus.

-Publicidade-

Por faixa etária

A taxa de infecção no domicílio foi maior em dois cenários: quando os primeiros casos confirmados ocorreram em adolescentes e em pessoas na faixa dos 60 e 70 anos.  “Isso provavelmente ocorre porque essas faixas etárias têm maior probabilidade de estar em contato próximo com os membros da família, pois o grupo precisa de mais proteção ou apoio”, disse Jeong Eun-kyeong, diretor do CDC da Coréia do Sul (KCDC) e um dos autores do estudo.

Crianças com 9 anos de idade ou menos têm menor probabilidade de ser o portador original do vírus, disse Choe Young-june, professor assistente da Faculdade de Medicina da Universidade Hallym (Coreia do Sul) que coliderou o trabalho. No entanto, ele observa que o tamanho da amostra de 29 crianças era pequeno em comparação com os 1.695 jovens de 20 a 29 anos estudados. “A diferença de faixa etária não tem grande significado quando se trata de contrair a covid-19. As crianças podem ter menos chances de transmitir o vírus, mas nossos dados não são suficientes para confirmar essa hipótese”, finalizou Choe.