Estudo mostra que cesáreas aumentam em 33% as chances do bebê desenvolver autismo

Pesquisadores analisaram cerca de 20 milhões de crianças

(Foto: Gety Images)

Após estudar mais de 20 milhões de crianças, pesquisadores da Universidade Karolinska Institute de Estocombo chegaram a conclusão que cesarianas aumentaram em 33% as chances do bebê desenvolver autismo e 17% em deficit de atenção.

-Publicidade-

O estudo que foi publicado nesta quarta-feira, 27 de agosto, foi liderado pela Dr. Tatianyang Zhang que analisou os resultados de cerca de 61 estudos realizados anteriormente.

Ainda  não foi possível afirmar com precisão se a cesariana tem relação direta com as condições cerebrais, mas sugestionaram que pode afetar o desenvolvimento cerebral quando o recém nascido não é exposto às bactérias encontradas no canal vaginal.

-Publicidade-

“Nosso estudo não fornece provas irrefutáveis ​​de que as cesarianas causam transtornos neuropsiquiátricos”, afirmou Zhang em entrevista.

Os resultados também demonstraram que partos cesáreas submetidos em casos de risco não demonstraram taxas de risco em autismo ou TDAH.  

Aliás, está não é a primeira vez que analisaram as consequências deste tipo de parto. Estudos anteriores mostraram que as crianças têm um maior risco de se tornarem obesos ou desenvolver diabetes.

Leia também:

Cesárea ou normal: o tipo de parto influencia na amamentação? 

Projeto de Lei quer garantir que a grávida possa escolher entre parto normal ou cesárea pelo SUS

7 coisas que você precisa saber antes de fazer uma cesárea

-Publicidade-