Família

Estudo prova que os gatos imitam o comportamento dos donos

A gente sempre suspeitou, mas agora temos pesquisa para comprovar

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

Dependendo do traço que o donho tinha o gato adotava o mesmo comportamento (Foto: iStock)

Os gatos são bem conhecidos pelo temperamento, há momentos de afeto, mas também de puro desdém. Não tem aquela hora que o seu bichano até finge que não está te ouvindo? Aí você pensa: ‘Parece até gente’. Pois é, um estudo publicado pela revista Plos One analisou mais de 3 mil humanos e seus fatos, depois de várias entrevistas eles perceberam cinco traços em comum entre eles: extroversão, amabilidade, abertura, consciência e neurose.

Resumindo, eles chegaram a conclusão de que dependendo do traço que o dono tinha o gato adotava o mesmo comportamento. Por exemplo, uma pessoa mais tímida tende a criar um gato mais tímido. Uma pessoa mais extrovertida, tem um gato mais extrovertido e assim por diante.

Animais são muito importantes para o crescimento dos seus filhos (iStock)

“Muitos donos consideram os animais como um membro da família, criando laços sociais com eles”, afirmou Lauren Finka, da professora da Universidade e coautora do estudo. Segundo a especialista é possível que os animais sejam bastante influenciados pelo nosso comportamento e que a nossa personalidade impacta a deles também.

De acordo com a cientista, a gente ainda tem que estudar bastante o comportamento dos animais e isso pode trazer bastante benefícios para o nosso relacionamento com eles.

Convívio com gatos torna a criança resistente à asma

Uma pesquisa feita pelos Institutos Nacionais de Saúde, nos Estados Unidos, avaliou a influência de alérgenos na saúde respiratória de 560 crianças. Os resultados apontaram que, desde bebê, certas substâncias dos felinos deixam as crianças mais resistentes à asma por volta dos sete anos de idade. Provavelmente você vai lembrar que a sua avó sempre disse que gatos e bebês não combinam, justamente por acreditar que eles influenciam nas alergias e asma. Mas não é verdade!

As crianças que participaram do estudo tinham grande chances de desenvolver crises alérgicas ou asma, além disso, cresceram nas grandes cidades dos Estados Unidos, como Baltimore, Boston e Nova York, ou seja, expostas à poluição. Mesmo assim, os gatinhos ajudaram a reduzir os riscos de doenças respiratórias. As informações são do site Superinteressante.

Leia também:

No final do ano o abandono de cães e gatos cresce em 200% e você precisa saber o motivo

É possível adestrar gatos? 

Convívio com gatos torna as crianças mais resistentes à asma, mostra estudo