Ex-mulher de Tom Veiga conta que a família ia se juntar antes da morte do ator: “Fizemos planos”

Um mês após a morte de Tom Veiga, completado hoje, Alessandra Veiga, ex-mulher e mãe de dois dos quatro filhos dele, abriu o coração sobre a dor da perda do intérprete de Louro José

Resumo da Notícia

  • Um mês após a morte de Tom Veiga, Alessandra Veiga, ex-mulher e mãe de dois dos quatro filhos dele, abriu o coração sobre como a dor da perda
  • Eles se separaram em 2018, após quase 15 anos casados
  • Alessandra mora com os filhos nos Estados Unidos e contou que mandou mensagem pra ele um dia antes de sua morte

Um mês após a morte de Tom Veiga, Alessandra Veiga, ex-mulher e mãe de dois dos quatro filhos dele, abriu o coração sobre como a dor da perda e comentou que a dupla tinha planos de reatar relacionamento. Eles se separaram em 2018, após quase 15 anos casados, até que, em maio deste ano, Tom resolveu procurá-la, querendo reatar.

-Publicidade-

“Ele pediu meu telefone para o meu filho. A gente se falava pelo WhatsApp todos os dias, e eu tenho muitos áudios nossos. Falamos um pouco de sentimento e da falta que sentíamos um do outro, e ele queria vir para cá para me ver”, contou ele sobre o processo de reaproximação.

Alessandra mora com os filhos nos Estados Unidos e contou que mandou mensagem pra ele um dia antes de sua morte. “Falamos coisas rotineiras, sobre como ele estava, um ‘bom dia!’, ‘dormiu bem?’”, disse ela.

10º Seminário Internacional Pais&Filhos

É hoje! O 10º Seminário Internacional Pais&Filhos – Quem Ama Cria está chegando! São oito horas seguidas de live, em formato completamente online e grátis. E tem mais: para se inscrever para os sorteios e ganhar prêmios incríveis, clique aqui!

O casal se separou em 2018 (Foto: Reprodução/ Facebook)

Como Tom não conseguiu ir aos EUA, Alessandra se programou para vir ao Brasil um dia após a data marcada para o divórcio dele, 5 de novembro. Ela só não imaginava que Tom morreria quatro dias antes da data do reencontro. “Não fui antes porque fiquei com medo de não conseguir voltar, por conta do meu visto de estudante. Ele também não conseguiu vir. A gente chegou a fazer planos, e isso, para mim, é amor. Sinto muita saudade e um pouco de arrependimento. Se eu fosse dar um conselho para alguém é: não deixe o ego tomar conta. O ego fez com que a gente ficasse afastado um ano e cinco meses, e, quando a gente ia se encontrar de novo, aconteceu isso. Não levei uma rasteira da vida: fui é empurrada do precipício, porque o fato de eu voltar a falar com ele, de a gente voltar, de ter, graças a Deus, se acertado, foi, para mim, um grande presente de Deus. Mas, ao mesmo tempo, não consigo entender por que aconteceu isso (a morte)”, disse Alessandra.

Ela ainda concluiu falando sobre a dor e o luto pela morte do ex-marido. “Agora, temos que viver um dia após o outro. As crianças, dentro do possível, estão bem. A Amanda, filha dele com a Cristina, a primeira mulher, me disse uma coisa muito bonita, que a mãe dela disse para ela: que agora nós somos uma família de duas mães e quatro filhos”, contou.