Existem 3 tipos diferentes do novo coronavírus no mundo e pesquisadores mostram qual está no Brasil

De acordo com as Secretarias Estaduais de Saúde, nosso país já chegou a 20.173 pessoas contaminadas e 1.084 mortes pela covid-19. Um estudo feito pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e da Universidade de Kiel, na Alemanha, sequenciou as variações do vírus no mundo com o objetivo de ajudar na criação da vacina

Resumo da Notícia

  • Um estudo feito pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e da Universidade de Kiel, na Alemanha, defende que existem três tipos de coronavírus circulando pelo mundo
  • Eles classificaram as variações em três grupos: A, B e C
  • Sendo que o B foi uma variação do A, e o C do B
  • A terceira categoria, chamada pelos pesquisadores de C, começou na Europa e é esta que está aqui no Brasil
Funcionários medindo a temperatura de clientes em um supermercado em Brasília (Foto: Getty Images)

Um novo estudo feito pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e da Universidade de Kiel, na Alemanha, defende que existem três tipos de coronavírus circulando pelo mundo. De acordo com o Bem Estar, os pesquisadores disseram que o vírus sofreu algumas alterações durante sua jornada até conseguir infectar mais de 1,5 milhão de pessoas no mundo inteiro.

-Publicidade-

Os pesquisadores analisaram as mutações do coronavírus nos primeiros 160 sequenciamentos genéticos nos humanos. Segundo o Bem Estar, é importante não criar alarde! Essas alterações no vírus são comuns e não significam que ele se torna pior a cada modificação ou mais contagioso ou com sintomas muito mais potentes do que os originais.

Você pode se perguntar por que eles estão estudando isso e tem um objetivo! Os cientistas querem conseguir traçar as rotas de infecção da covid-19, assim dá para sugerir medidas de conter o aumento da transmissão de um lugar para o outro. As informações também ajudam a descobrir qual é o ritmo da mutação do vírus, que até agora tem sido lenta. Isso facilita a criação de uma vacina que pode acabar com esse sofrimento e mudar nossas vidas.

-Publicidade-
Funcionários medindo a temperatura dos passageiros chegando ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Foto: Getty Images)

Ainda segundo o Bem Estar, a pesquisa encontrou mais de 1.000 sequenciamentos genéticos do novo coronavírus em três grupos. Eles chamam de A, B e C. O B foi modificado a partir do A, e o C a partir do B. Ou seja, um foi derivado do outro.

Os pesquisadores chamam A de o vírus “original”, que tem relação com o coronavírus encontrado em morcegos e pangolins, um pequeno mamífero com diversas escamas e ameaçado de extinção, são os dois animais que estão relacionados com o começo da transmissão do vírus no mundo.

Já o tipo B do vírus está mais concentrado no Leste da Ásia, mas não chegou a muitos outros países perto daquela região, dizem os especialistas. Essa mutação a partir do tipo A deve ter acontecido porque o coronavírus encontrou uma forte resistência imunológica nos moradores para conseguir se espalhar entre outros lugares do mundo.

E por último o tipo C: reconhecido como o tipo do vírus que chegou à Europa e foi encontrado nos primeiros casos na França, Itália e Suécia. De acordo com os pesquisadores, esta é a categoria que chegou ao Brasil.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-