Família adota melhor amigo do filho: “Foi um momento de arrepiar”

Rita Marlow e Seth Lentchner souberam da situação de Nate, melhor amigo do filho deles, e decidiram ajudar o garoto

Resumo da Notícia

  • O caso aconteceu na Pensilvânia, Estados Unidos
  • O casal começou apenas ajudando o garoto, sem imaginar que ele viraria filho deles
  • Nate escolheu ficar com a nova família e o dia da adoção foi marcante

Uma família americana, em ato de solidariedade, adotou o melhor amigo do filho depois de descobrir que ele precisava de ajuda. Rita Marlow e Seth Lentchner, da Pensilvânia, Estados Unidos, ficaram sabendo que uma criança do time de futebol do filho deles estava passando necessidades e decidiram ajudar. O que começou como um simples momento de compaixão, acabou com o menino se tornando parte da família de Rita e Seth.

-Publicidade-
A família ganhou um membro a mais (Foto Reprodução / Today Parents)

O casal conheceu Nate, de 16 anos, há cerca de 9 anos, pois ele jogava futebol com o filho deles, Zachary. Os meninos eram melhores amigos e por conta disso as famílias dos dois se aproximaram. “Com o passar dos anos, descobrimos as dificuldades da família dele. Pegávamos Nate na sexta-feira e ele passava o fim de semana conosco. À medida que ficavam mais velhos, o víamos muito mais e ele passava muito mais tempo em nossa casa”, disse Rita.

Anos depois, em 2016, durante um torneio de futebol, eles receberam uma notícia que mexeu com o emocional deles. “Recebemos um telefonema informando que Nate havia sido retirado de sua casa e eles queriam saber se poderíamos mantê-lo conectado ao futebol”, relembra. Dias depois, a assistência social entrou em contato com eles e perguntou se eles tinham interesse em adotar Nate.  “Isso não era algo que já tínhamos considerado. Eles disseram que o motivo de estarem perguntando é que Nate pediu para vir morar em nossa casa”, conta.

Rita lembrou também que a primeira coisa que ela fez foi falar com o filho, Zach. diu para vir morar em nossa casa”, conta. Rita conta que a primeira pessoa a quem consultou foi seu filho, Zach. “Eu disse: ‘Zach, Nate precisa de nossa ajuda, mas você vai ter que dividir um quarto’. Ele disse: ‘Com certeza. Precisamos ajudar Nate”.

De primeira, a mãe disse que ficou nervosa sobre o aumento das despesas financeiras, mas outras mães, parentes e amigos, ajudaram com doações, facilitando o processo. “Eu estava muito preocupada, porque não queríamos decepcioná-lo. Mas todo mundo imediatamente se prontificou – e é por isso que pareço tão clichê ao dizer: ‘Nossa aldeia’. É assim que sempre foi. Fornecemos o telhado, mas ao longo do caminho, tantas pessoas estiveram aqui”, agradeceu.

Até o jardim da nova casa de Nate foi decorado para recebe-lo (Foto: Reprodução / Today Parents)

Nate tinha 13 anos e já estava sob os cuidados da nova família por cerca de um ano e meio quando decidiu que queria permanecer com eles para sempre. Ele decidiu que nossa casa era onde ele queria estar. Começamos o processo de adoção e, de repente, paramos e ele voltou a se reunir com sua mãe biológica. Cada vez que isso acontecia, era uma espécie de derrota. Parecia que ele nunca iria conseguir o que queria. Ele só queria aquele pedaço de papel que dizia que ele seria adotado”, conta emocionada.

A adoção

No meio de um Dia de Ação de Graças, em novembro de 2020, a família finalmente recebeu a ligação que tanto esperavam. “Eles disseram: ‘Está acontecendo'”. Nate se tornou oficialmente filho de Rita e Seth no dia 13 de julho de 2021, quase 5 anos depois. O dia foi marcado também por uma surpresa que eles nunca vão esquecer.  “Inicialmente, fomos informados de que seis pessoas poderiam estar no tribunal”, lembra Rita, acrescentando que entre seus três filhos, teriam que escolher quem poderia comparecer. “Mas recebemos um telefonema na quinta-feira anterior dizendo que não havia limite, então, Seth estendeu o convite para que a família do futebol viesse”, conta.

A família foi surpreendida por diversas pessoas que vieram prestigiar o grande dia da adoção (Foto: Reprodução / Today Parents)

A surpresa veio quando eles se depararam com 52 adultos e crianças solidárias com camisetas azuis sentados na sala do tribunal do condado de Bucks. “Foi um momento de arrepiar ver todas essas pessoas que apoiaram Nate estarem lá naquele dia”. No momento que Nate se levantou para falar com o juiz, ficou perceptível que ele estava começando a ficar nervoso. “Zach, então, colocou a mão no ombro de Nate, olhou para o juiz e disse: ‘Nate é um ótimo aluno, um ótimo jogador de futebol e um grande amigo'”, lembra. Rita disse que o juiz simplesmente respondeu: “Esse é um irmão de verdade”. “Todos estavam presentes para compartilhar essa alegria… é quase como se todos tivessem passado por isso conosco”, finalizou Rita.