Família conta como irmãos sobreviveram 27 dias perdidos na Floresta Amazônica

Glauco e Cleisson Ferreira, de 7 e 9 anos foram encontrados com picadas de gafanhoto, formigas e mordida de morcego

Resumo da Notícia

  • Duas crianças que ficaram perdidas na Floresta Amazônica por 27 dias
  • A família das crianças contou como eles sobreviveram
  • Glauco e Cleisson Ferreira foram encontrados com picadas de gafanhoto, formigas e mordida de morcego

Você provavelmente já deve ter ouvido falar de duas crianças que ficaram perdidas na Floresta Amazônica por 27 dias. Glauco e Cleisson Ferreira, de 7 e 9 anos, foram encontrados com picadas de gafanhoto, formigas, mordida de morcego e bebendo água da chuva.

-Publicidade-

A família contou em entrevista exclusiva ao Fantástico como as crianças conseguiram sobreviver. A mãe relatou os dias de buscas. “Pedia: Deus, me mostre meus filhos”, disse. A agricultora Rosinete da Silva Carvalho disse que durante o período em que os filhos estavam perdidos tiveram que beber água da chuva, de um pequeno rio e se alimentaram de uma fruta típica da região amazônica, conhecida como sorva.

Os pais contaram como as crianças sobreviveram na Floresta Amazônica
Os pais contaram como as crianças sobreviveram na Floresta Amazônica (Foto: Reprodução/Fantástico)

“Tinha muito gafanhoto, que roía, formiga, que ferrava, morcego, que mordeu na orelha dele. Tem uma mordida na mão dele. Aquilo foi uma aranha. O maior matou uma cobra”, detalhou. A mãe contou que viveu momentos terríveis com a ausência dos filhos.

“Toda tarde eu ia no terreiro da casa onde eles jogavam bola. Eu ajoelhava no terreno e pedia :” Deus, me mostre meus filhos” , disse. Rosinete acredita que o fato de eles serem indígenas foi fundamental para eles sobreviverem.  “Porque eles têm aquele modo, aquele costume que a gente fala “da terra”, de comer as frutas que eles conhecem. E foi isso mais que alimentou eles”, disse.

As crianças só comeram uma fruta típica da região por 27 dias
As crianças só comeram uma fruta típica da região por 27 dias (Foto: Reprodução/Fantástico)

As crianças foram localizadas na terça-feira (15), apresentando um quadro grave de desnutrição e escoriações na pele. O agricultor Manoel Pio Wilkes, que localizou as crianças disse que estava procurando madeira no meio da mata quando ouviu um barulho.