Família de paraibana desaparecida na Ucrânia recebe novas notícias sobre o paradeiro da mulher

A família de Silvana Vicente e Vasyl Pilipenko, casal desaparecido em meio à guerra na Ucrânia, recebem novas notícias do Itamaraty sobre a situação dos familiares

Resumo da Notícia

  • Os familiares de Silvana e Vasyl Pilipenko, receberam novas notícias sobre o casal desaparecido
  • O filho deles mudou de ideia sobre ir à Ucrânia para procurar sobre os pais
  • O Itamaraty entrou em contato com a família da paraibana

Após de 20 dias sem notícias da paraibana Silvana Pilipenko, brasileira que mora na Ucrânia, familiares têm um pouco de alívio ao saber um pouco mais sobre o paradeiro da mulher. De acordo os parentes da Silvana, o filho dela, o Gabriel Pilipenko – recebeu nesta terça-feira, 22 de março, informações do Itamaraty referente a situação dos desaparecidos. O contato foi realizado junto com o Governo do Estado da Paraíba.

-Publicidade-

“Eles entraram em contato com Gabriel e dizem que estão fazendo de tudo, mas realmente a situação está complicada porque eles não podem mandar uma pessoa para entrar em Mariupol, para arriscar a vida também dessa pessoa”, disse Mere, irmã de Silvana, em entrevista concedida ao G1.

Silvana e Vasyl Pilipenko estão desaparecidos após bombardeio atingir Ucrânia (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

Segundo a tia do Gabriel, o rapaz pretendia ir à Ucrânia para tentar encontrar os pais, no entanto, mudou de ideia para preservar sua segurança. “Ao chegar na Alemanha ele viu as possibilidades e está muito perigoso. Ele ia para Odessa, mas lá está perigoso também, então ele agiliza o que pode a partir da Alemanha. Falando com conhecidos que têm família na Ucrânia, sabendo se tem contato com esses familiares e se eles podem buscar informações. Ele está fazendo de tudo, mas até agora não temos nada”, completou.

Busca por Silvana Vicente e Vasyl Pilipenko

O Gabriel Pilipenko (26) é filho da brasileira Silvana Vicente e do ucraniano Vasyl Pilipenko. O rapaz, em entrevista à BBB News Brasil, conta que não tem notícias dos pais desde o início de março. O casal mora em Mariupol, cidade mais atacada da Ucrânia. Por conta da falta de informações do paradeiro dos familiares, o Gabriel solicitou um afastamento temporário do trabalho, para que fosse possível se concentrar apenas na busca dos pais.

“Não conseguiria continuar trabalhando tranquilamente sem notícias dos meus pais. Estava pensando nisso toda hora. Seria perigoso continuar embarcado, porque é um trabalho que requer muita responsabilidade e seria difícil continuar enquanto estava com a mente ocupada por problemas pessoais”, disse Gabriel, atual Marinheiro Mercante.

Quando começou os bombardeios da Rússia à Ucrânia, a Silvana e o Vasyl estavam em Mariupol. Logo em seguida, ambos avisaram aos familiares que ficaram sem comunicação, devido a falta de energia elétrica que tinha acabado de se estabalecer na cidade. Desde então, o Gabriel não tem mais notícias dos pais. Para ler a história completa, clique aqui.