Família desabafa sobre chegada do corpo de Alex Apolinário em SP: “Não era desta forma que a gente queria”

O jogador faleceu depois de parada cardiorrespiratória durante jogo em Portugal. O meia estava internado desde o dia 3

Resumo da Notícia

  • Ao falar sobre a morte do irmão, Alex Apolinário, na última quinta-feira, 7 de janeiro, Fabrício dos Santos respondeu que está atendendo familiares, amigos e a imprensa
  • O meia faleceu em decorrência de uma parada cardiorrespiratória sofrida no domingo, enquanto defendia o Alverca em partida válida pela Terceira Divisão do futebol português
  • De acordo com Fabrício, a família ainda tenta entender como será feito o transporte do corpo do irmão de Portugal para Luís Antônio

Ao falar sobre a morte do irmão, Alex Apolinário, na última quinta-feira, 7 de janeiro, Fabrício dos Santos respondeu que está atendendo familiares, amigos e a imprensa. O meia faleceu em decorrência de uma parada cardiorrespiratória sofrida no domingo, enquanto defendia o Alverca em partida válida pela Terceira Divisão do futebol português.

-Publicidade-

De acordo com Fabrício, a família ainda tenta entender como será feito o transporte do corpo do irmão de Portugal para Luís Antônio, cidade localizada a 56 km de Ribeirão Preto e 276 km de São Paulo, onde deverá ser realizado o sepultamento. “Não era desta forma que a gente queria que ele estivesse voltando”, destacou o irmão.

“Velório vai ser aqui, toda a família dele é daqui. A gente não sabe ainda quando vai chegar o corpo. Minha mãe falou com o empresário e a esposa, parece que chega dentro de sete dias. Ficamos desesperados, estávamos ansiosos de chegar o quanto antes, como vamos dormir? Vamos ficar na base de remédios”, contou Fabrício.

-Publicidade-
Ele deixou dois filhos pequenos (Foto: Reprodução/ Instagram)

Ele ainda relatou que a mãe, à base de remédios mal consegue falar sobre a perda. O mais velho dentre os três irmãos conversou com Alex na noite anterior ao jogo do último dia 3. Alex estava motivado para fazer uma boa partida. O irmão, inclusive, assistia à partida pela internet quando viu o jogador desabar em campo.

A mãe ainda conseguiu pontuar a falta que fará o jogador. “stou tentando, tomei um calmante para ter força, tenho mais filhos para criar. Ele vai fazer muita falta, essa dor nunca vai sair de mim, vai deixar muita saudade. Eu sinto dó dos filhos que ele deixou, a esposa que ele amava. Sempre nos ajudou. Apoiava ele. Eu não queria ver ele voltar num caixão. Ele tinha muitos sonhos na vida dele, com os filhos, pra família, deixou muita tristeza, estou com o coração partido”, desabafou.