Família presa em casa por 3 meses descobre que tudo não passou de grande erro

Vickie Heywood e seus três filhos, estavam passando por momentos de tensão, após receberem orientações do governo de ficarem em isolamento, pois o caçula poderia estar correndo risco de infecção. Mas não esperavam receber a informação, que faziam parte de uma grande confusão!

Resumo da Notícia

  • Mãe de três meninos precisou ficar 14 semanas sem sair de casa
  • Ela passou por momentos de tensão sem saber o diagnóstico do filho mais novo
  • O governo cometeu um erro e informou que a família dela estaria fora de risco
  • Vickie ficou extremamente frustrada pela confusão que gerou muitos problemas
Vickie ficou em isolamento domiciliar com os três filhos e tudo não passou de uma grande confusão (Foto: Reprodução/ MEN )

Em meio a pandemia do coronavírus, qualquer tipo de novas orientações ou indícios de que nossa família poderia estar correndo algum risco, tomamos todas as medidas necessárias, para salvar as pessoas que amamos. No entanto, para está família de Manchester, Reino Unido, as informações médicas se tornaram uma grande frustração.

-Publicidade-

Vickie Heywood, de 29 anos, recebeu no dia 2 de abril, uma carta por parte da secretaria de saúde pública local, que dizia que seu filho mais novo, Harlie Heywood, de 2 anos de idade, estava correndo grave risco de vida e por isso toda família deveria ficar em isolamento domiciliar. O menino já sofreu com crises de bronquite no passado, por isso Vickie, achou que os médicos estavam corretos.

Ela recebeu uma carta avisando sobre o erro, após mais de 3 meses em casa (Foto: Reprodução/ MEN )

No entanto, após 14 semanas em total isolamento, na última quarta-feira, 24 de junho, Vickie recebeu uma segunda carta, que confirmava o erro no diagnóstico. De acordo com as autoridades, houve uma confusão dos dados de outras famílias e a primeira carta, teria sido enviada por engano. Além disso, foi informado que a família poderia sair de casa, pois nenhum membro sofre algum tipo de risco de infecção.

-Publicidade-

“Eu comecei a chorar, desesperada, assim que li. O isolamento domiciliar foi muito difícil. Sou mãe solteira e tenho outros dois filhos, de 7 e 13 anos, então foi uma fase complicada para todos nós. Tive dificuldade de fazer compras online e precisei contar com a ajuda de familiares e vizinhos, que me traziam comida e outras compras aqui em casa. Todo esse trabalho e preocupação, poderia ter sido evitado”, contou Vickie, ao Manchester Evenning News (MEN). Ela está em busca de justiça e espera por respostas, por parte das autoridades médicas.