Família Real apresenta rombo de mais de R$ 60 milhões em contas, aponta documento

Dados oficiais divulgados revelam ainda a falta de representatividade nos funcionários que servem o Palácio de Buckingham e o impacto do coronavírus na vida da coroa

Resumo da Notícia

  • Foram divulgados pela primeira vez documentos oficiais que apontam rombo nas contas da Família Real
  • Os registros apontam uma dívida de R$ 69 milhões de Rainha Elizabeth
  • De acordo com especialistas, a queda na arrecadação com importantes pontos de turismo e visitação durante a pandemia afetou diretamente as contas da coroa
  • Os documentos também expuseram a falta de representatividade nos funcionários que trabalham no Palácio de Buckingham

Não está fácil para ninguém! Pelo menos, não para a Família Real – de acordo com documentos oficiais, que evidenciaram um déficit de R$ 69 milhões nas contas da Rainha Elizabeth, bem como a falta de representatividade no time de funcionários que frequentam o Palácio de Buckingham.

-Publicidade-

O grande motivo por trás desse rombo na arrecadação da coroa se deve à pandemia, e o fechamento de importantes pontos de visitação da Família Real. Os registros estimam uma queda de mais de 50% no lucro dado pelos ingressos desses locais.

Meghan e Harry expuseram a falta de representatividade dentro do Palácio de Buckingham em entrevista (Foto: Getty Images)

Além disso, as suspeitas levantadas por Príncipe Harry e Meghan Markle na polêmica entrevista a Oprah foram confirmadas: o palácio real sofre com a falta de representatividade. Os documentos pela primeira vez divulgados mostram que – mesmo com o fim da proibição da contratação de imigrantes ou pessoas de cor que durou até 1960 – atualmente ainda são poucos os funcionários que fazem parte do grupo: apenas 8,5% deles são pessoas negras, asiáticas e de outras origens étnicas minoritárias, e este número cai para 8% na residência de Príncipe Charles e Camila.

E agora!?

O responsável pelas contas da Família Real, o guardião do Tesouro Privado Sir Michael Stevens, se pronunciou oficialmente: “No ano coberto por este relatório, nós realmente gastamos mais do que o nosso subsídio e a renda suplementar que ganhamos, com uma despesa líquida total de 607 milhões de reais, um aumento de 26% em relação ao ano anterior”, revelou. “Isso foi em grande parte impulsionado por um aumento significativo nas despesas com reservas de 147 milhões de reais para 269 milhões de reais, um aumento de 83% no ano”.

As contas do Palácio foram afetadas pelo fechamento de pontos de visitação durante a pandemia (Foto: Wikimedia Commons)

Stevens ainda falou sobre as intenções da equipe de Rainha Elizabeth para lidar com o saldo negativo. “Como dissemos que faríamos, apertamos nossos cintos, cortamos custos em todas as áreas e conseguimos economizar para cobrir essa redução prevista na receita complementar”, relembrou. “Essas reduções de custos não envolveram perdas de empregos, mas vieram de todas as áreas, incluindo o congelamento de salários e recrutamento de que falamos, reduções gerais nas áreas de viagens, limpeza e TI e uma redução na manutenção de algumas pendências de propriedades”, declarou por fim.