Familiares separados há 26 anos se reencontram graças a foto no Whatsapp

Umtoni ficou orfã aos 2 anos, durante o genocídio que aconteceu em Ruanda, na África. Mais de duas décadas depois, ela foi identificada pelo tio em uma foto nas redes sociais

Resumo da Notícia

  • Uma família separada em 1994 voltou a se reunir este ano graças a imagem no Whatsapp
  • Umtoni, que ficou orfã aos 2 anos, foi separada dos pais durante o genocídio que aconteceu em Ruanda, na África
  • Em abril, a jovem de 28 anos resolveu compartilhar algumas fotos da infância nas redes sociais na esperança de que membros da família biológica a reconhecessem

Uma família separada em 1994 voltou a se reunir este ano graças a imagem no Whatsapp. Umtoni, que ficou orfã aos 2 anos, foi separada dos pais durante o genocídio que aconteceu em Ruanda, na África. Em abril, a jovem de 28 anos resolveu compartilhar algumas fotos da infância nas redes sociais na esperança de que membros da família biológica a reconhecessem.

-Publicidade-
Tio e sobrinha se reencontraram (Foto: Reprodução / BBC)

A enfermeira conta, em entrevista à BBC, que demoraram meses até algum parente fazer contato. Até que um dia ela recebeu uma mensagem de Antoine Rugagi, dizendo que ela se parecia muito com a irmã dele, Liliose Kamukama, que não havia sobrevivido na época. O contato, feito pelo Whatsapp, animou Umtoni, que disse ter visto muita semelhança física entre os dois.

“Quando eu o vi, também percebi que nos parecíamos”, disse ela. “Mas apenas testes de DNA poderiam confirmar se éramos parentes, então fizemos um em Kigali em julho.” Os dois foram buscar os testes juntos aquele mês e descobriram uma compatibilidade genética de 82%, o que indicava que eram da mesma família. Segundo os parentes, Antonie é tio materno de Umtoni.

-Publicidade-
A semelhança entre mãe e filha foi uma pista (Foto: Reprodução / BBC)

“Fiquei chocada. Não consegui conter o desejo de expressar minha felicidade. Ainda hoje acho que estou em um sonho. Foi o milagre pelo qual sempre orei”, diz a enfermeira. Após a revelação, a jovem foi levada para conhecer o restante dos familiares, que ficaram encantados com a semelhança de Umtoni com a mãe.

“Passei minha vida inteira sentindo que não tinha raízes, mas agora acho uma bênção ter minha família adotiva e minha família biológica, ambas parte de mim”, disse ela.

-Publicidade-