Fase Verde em São Paulo: saiba tudo sobre a flexibilização da quarentena em plano de reabertura

Durante uma coletiva de imprensa do Governo de São Paulo, novas regras permitem que estabelecimentos culturais, como museus e bibliotecas, voltem a funcionar com todos os cuidados que já eram tomados antes

Resumo da Notícia

  • Nesta sexta, 09, o Governo de São Paulo fez uma coletiva de imprensa para anunciar novas regras em relação à quarentena
  • O estado de São Paulo entra agora na Fase Verde do plano de reabertura
  • Nessa fase, museus, cinemas e bibliotecas voltam a funcionar

Nesta sexta-feira, 09, o governador João Dória anunciou durante uma coletiva de imprensa que o Estado de São Paulo vai entrar na fase verde do plano de reabertura e flexibilização da quarentena.

-Publicidade-
Doria fala sobre nova fase de flexibilização da quarentena (Foto: Facebook / Governo de São Paulo)

O plano entra em ação amanhã, dia 10 de outubro, e vai valer em 76% do estado de São Paulo. Apesar da liberação, ainda existem muitas regras que devem ser seguidas e todos os cuidados já recomendados antes permanecem valendo. De acordo com informações passadas durante a coletiva de imprensa, a fase verde vai funcionar até o dia 16 de novembro, momento em que será reavaliada, se houve algum aumento nos casos de coronavírus e se a fase verde será mantida.

Durante esse novo período de flexibilização da quarentena, estabelecimentos como shoppings, comércio, cabeleireiros e academias ficarão abertos por 12h. Nos locais que estão na fase amarela, esses espaços funcionam de 8h a 10 horas por dia.

-Publicidade-

Com a fase verde, esses estabelecimentos estão com a capacidade limitada a 60% da ocupação, e as regras de segurança se mantem: o uso de máscara é obrigatório, assim como a compra antecipada de ingressos quando falamos da volta do funcionamento dos estabelecimentos culturais: teatros, museus, bibliotecas e cinemas, que foram liberados nesta fase. O controle de acesso da população, assim como medir a temperatura de quem vai até esses locais, também é obrigatória.

Aglomeração ainda estão estritamente proibidas. Festas, baladas, torcidas em estádios, grandes shows com público em pé não estão liberados. Bruno Covas, prefeito de São Paulo, se pronunciou sobre a nova fase do plano: “Não vamos deixar de retroceder [a decisão de flexibilização] se os casos de coronavírus voltarem a aumentar”. A abertura de parques e da Avenida Paulista ainda não foi cogitada e Covas afirmou que vai demorar pelo menos 15 dias para que seja possível avaliar esses pontos.

Doria fala sobre nova fase de flexibilização da quarentena (Foto: Facebook / Governo de São Paulo)

Ainda durante a coletiva, afirmaram que houve uma melhora significativa dos índices relacionados ao coronavírus em várias partes da região de São Paulo. Mas uma coisa ficou clara: não podemos perder o medo que tínhamos no começo da quarentena. Os cuidados precisam ser tomados e a pandemia ainda não acabou.

-Publicidade-