Fase vermelha: São Paulo mantêm apenas serviços essenciais funcionando durante final de ano

Em coletiva de imprensa, governo do estado diz que teme um descontrole da pandemia e reforçou as medidas de segurança para evitar aglomerações nas festas de Natal e Ano Novo

Resumo da Notícia

  • São Paulo mantêm apenas serviços essenciais funcionando durante final de ano
  • Estado volta para a chamada fase vermelha durante os feriados
  • Governo teme um descontrole da pandemia causado por aglomerações em festas de Natal e Ano Novo

Nesta terça-feira, 22 de dezembro, foi anunciado através de uma coletiva de imprensa do Governo que o estado de São Paulo fará modificações no plano de contenção do coronavírus e serão tomadas “medidas restritivas específicas” entre os dias 25 a 27 de dezembro e 1 a 3 de janeiro de 2021.

-Publicidade-
(Foto: Getty Images)

Embora o termo “fase vermelha” não tenha sido dito durante a coletiva de imprensa, o governo só permitirá que, durante os dias selecionados, comércios essenciais – como farmácias, padarias e mercados – estejam abertos durante o período de Natal e Ano Novo. Isso restringe o funcionamento de outros estabelecimentos, como bares, restaurantes, shoppings e outros tipos de serviços que não se encaixam no segmento “essencial”.

Além disso, foi dito que no próximo dia 7 saberemos em qual fase o estado de São Paulo estará, seguindo o plano de reabertura devido a pandemia do coronavírus – para agora, o que se sabe é que nenhuma região voltará para a fase verde. Patrícia Ellen, secretária do Desenvolvimento Econômico do estado, reforçou que “não é o momento para aglomerações e festas”, já que estamos em um momento em que pode acontecer um descontrole da pandemia.

Aumento do número de casos

Durante uma entrevista coletiva na última segunda-feira, 21 de dezembro, o secretário da saúde do Estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, reforçou a importância de respeitar o isolamento social. “Estamos na 52ª semana epidemiológica e o vírus está cada vez mais perto de nós”. Segundo ele, nas últimas quatro semanas tivemos um aumento de 54% do número de casos, 34% no número de óbitos e aumento de 13% no número de internações.

O governador João Dória anunciou, até dia 31 de dezembro de 2020, chegarão em São Paulo mais dois carregamentos da vacina do Butantã. Serão 400 mil doses no dia 28 de dezembro e mais 600 mil no dia 30 de dezembro. Até o último dia do ano, São Paulo terá 10 milhões e 800 mil doses da vacinação criada pelo Instituto Butantã.