Fernanda Gentil fala como descobriu que estava com covid-19 e faz apelo: “Não subestimem”

A jornalista faz parte do grupo de risco por ter asma e confessou uma grande preocupação ao pegar a doença

Fernanda Gentil segue isolada em sua casa desde o diagnóstico positivo para Covid-19. A jornalista deu detalhes de como descobriu que estava com a doença, em seu perfil no Instagram.

-Publicidade-
Foto: reprodução/Instagram

 

“Acordei um dia entupida, coisa que não tenho normalmente. Congestão nasal frequentemente. Eu sou muito alérgica, mas sempre vem com aviso antes. Já vou sentindo que estou gripando. Acordei muito entupida e falei: ‘Não é normal, está estranho isso’.”, começou.

-Publicidade-

Na sequência, Fernanda explicou que desconfiou dos primeiros sintomas. “Liguei o alerta completamente. Já fiquei meio à distância, fiquei acompanhando, monitorando. Foi evoluindo uma sensação de gripe forte, então decidi fazer logo esse exame, porque a conta não está fechando. E aí, deu”.

Para finalizar, ela deu um alerta para que os fãs prestem atenção em qualquer tipo de sintoma. “Não subestimem, não ignorem os sinais do corpo de vocês, porque ele fala mesmo. Às vezes, fala o que a gente não gostaria de ouvir, mas a gente precisa para poder resolver qualquer questão”.

Preocupação por ser grupo de risco

A jornalista faz parte do grupo de risco por ter asma, e confessou uma grande preocupação ao pegar a doença. “Esperei passar a maior parte do processo de quarentena, fui diagnosticada com Covid. Estou vindo aqui porque temos um compromisso de transparência, mas não queria avisar antes que dessa tudo certo. Fiquei apreensiva, foi um susto. Tenho asma, a respiração sempre foi uma preocupação caso eu pegasse. Acabou acontecendo, essa segunda onda está batendo na nossa porta”, começou Fernanda em uma série de vídeos postados em seus Stories.

Fernanda, que é mãe de Gabriel Gentil Braga, de 4 anos e madrinha de Lucas, de 11 anos, contou que foi a única pessoa em sua casa a pegar a doença.

(Foto: Reprodução/ Instagram @gentilfernanda)

Ela disse que já está no final das duas semanas de quarentena que passou isolada no quarto de seu filho e descreveu alguns dos sintomas que teve. “Desde que fui dignosticada, faz 13 dias, estou isolada no quarto, longe de todo mundo, tomando os remédios. A asma graças a Deus não deu sinal nesse período. Estou ainda sem paladar, olfato. Tive sintomas mais brandos com sensação de gripe muito forte, dor no corpo”, contou, afirmando ter sido a única pessoa em sua casa a pegar a doença.

“Quando comecei a sentir os sintomas já me isolei, estou no quarto do Lucas esse tempo todo, longe de todo mundo, as crianças não estão em casa, a Priscila está no outro quarto. Logo que meu exame deu confirmado, todo mundo fez também e deu negativo, então acho que foi fundamental a gente ter se afastado bem no comecinho. Só eu mesmo que peguei e já estou chegando na reta final. Só tenho a agradecer por não ter sido afetada de forma mais forte”, encerrou.

-Publicidade-