Fernanda Lima questiona maternidade e fala sobre puepério em programa apresentado com Rodrigo Hilbert

O casal é pai dos gêmeos João e Francisco, de 13 anos, e Maria Manoela, de 1 ano e meio

Resumo da Notícia

  • Nesta quinta-feira, 6 de maio Fernanda Lima, de 43 anos falou sobre maternidade e puepério durante o “Bem juntinhos”;
  • O programa é apresentado por Fernanda com o marido, Rodrigo Hilbert, de 41;
  • O casal é pai dos gêmeos João e Francisco, de 13 anos, e Maria Manoela, de 1 ano e meio.  

Nesta quinta-feira, 6 de maio Fernanda Lima, de 43 anos falou sobre maternidade e puepério durante o “Bem juntinhos”, programa que apresenta com o marido, Rodrigo Hilbert, de 41. O casal é pai dos gêmeos João e Francisco, de 13 anos, e Maria Manoela, de 1 ano e meio.

-Publicidade-
(Foto: Reprodução/Instagram @fernandalimaoficial)

Durante o programa transmitido pela GNT, Fernanda Lima questionou: “Maternidade é destino? É dever social, é trabalho, é sacrifício? Para ser mãe precisa mesmo padecer no paraíso?”. Em seguida, ela falou sobre puerpério e complementou: “é um tempo estranho, ao mesmo tempo ela vive um luto e uma alegria. Uma mulher precisou deixar de existir para que a mãe nascesse”, diz.

Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert sobre a exposição dos filhos

Posando com a família, Fernanda Lima aceitou pela primeira vez aparecer em revista com a família, após vários convites recusados. “Me chamam desde que eles nasceram e nunca aceitei”, conta ela, que nunca aceitou por medo de não ser do interesse dos filhos, causando problemas para eles no futuro.

Mas com o passar do tempo, o casal relaxou com a chegada da filha de 1 ano e meio, Maria Manoela. E o incentivo que faltava para aceitar o convite veio dos próprios filhos mais velhos, João e Francisco, de 13 anos. Já que na família todos são ouvidos. Ao serem consultados, os gêmeos disseram com clareza queriam estampar a capa desta edição de maio, mês das mães.

Rodrigo Hilbert e Fernanda Lima (Foto: reprodução/Instagram @fernandalimaoficial)

Desde a chegada dos filhos, o casal combinou que evitariam a exposição demasiada das crianças. “No Rio, muitos paparazzi nos perturbavam, ficávamos um pouco constrangidos e as crianças, pequenininhas, também”, lembra ela. “Eles diziam: ‘Papagaio, mamãe, papagaio, papai. Vamos fugir’”.