Filha conta que pai morreu após ser atendido por falso médico: “Disse que era só uma gripezinha”

A Maria Regina, filha de João Luiz Tavares, contou por meio de vídeos publicados nas redes sociais, que o pai dela faleceu em 2021 após ser atendido por um policial militar que se passava por profissional da saúde

Resumo da Notícia

  • A filha contou que o pai morreu após ser atendido por falso médico
  • O Khlisto Sanderson Ibiapina de Albuquerque, de 34 anos, foi preso no Ceará
  • A Maria Regina, filha de João Luiz Tavares, contou por meio de vídeos publicados nas redes sociais, que o pai dela faleceu em 2021 após ser atendido por um policial militar que se passava por profissional da saúde

A jovem de 22 anos, moradora de Triunfo Potiguar, município situado a 258 km de Natal, Rio Grande do Norte, contou por meio de vídeos publicados nas redes sociais, que o pai dela faleceu em 2021 após ser atendido por um policial militar que se passava por profissional da saúde. Conforme apuração jornalístico do g1, o falso médico foi preso no último sábado, 16 de julho, no Ceará, local em que ele também exercia a medicina ilegalmente.

-Publicidade-

Ainda segundo o jornal, a Prefeitura de Triunfo Potiguar negou que o falso médico estivesse no centro médico em que foi registrado o óbito do pai da jovem. O acusado foi identificado como Khlisto Sanderson Ibiapina de Albuquerque, de 34 anos. Ele recebeu voz de prisão enquanto dava expediente em um hospital municipal. O homem usava o registro do Conselho de Regional de Medicina (CRM) de outro profissional de saúde, o qual também prestou denúncia contra o preso.

Na rede social Instagram, a Maria Regina Neta afirmou que, no ano passado, o pai, João Luiz Tavares, faleceu por conta da Covid-19. No entanto, quando sentiu os primeiro sintomas, buscou uma unidade de saúde em Triunfo Potiguar, onde ficou uma semana internado. “Esse médico que foi preso foi quem atendeu meu pai. Quando meu pai deu entrada no hospital, passando muito mal, ele disse que meu pai estava só com uma ‘gripezinha'”, disse a jovem.

Em sequência, questionou: “Quando eu vi o vídeo [da prisão do falso médico], aquilo me revoltou. Vocês não têm noção o quanto estou com ódio, com raiva. Será que meu pai morreu por Covid mesmo ou foi porque um falso médico atendeu ele?”. Veja abaixo o vídeo completo do relato dela: 


A Prefeitura de Triunfo Potiguar emitiu uma nota explicando o caso, onde explica que o falso médico não estava no Hospital Maternidade Etelvina Vieira de Melo, na data em que foi registrado o óbito do pai da jovem. Porém, a nota emitida à imprensa não explica se a vítima foi realmente atendida pelo falso profissional de saúde. No entanto, a Maria Regina discorda da Prefeitura e reafirma que o falso médico atendeu, sim, o pai dela quando ele foi ao hospital.

Nota completa da Prefeitura de Triunfo Potiguar:

“A Secretaria Municipal de Saúde vem por meio desta nota, esclarecer aos cidadãos triunfenses a respeito de vídeos disseminados nas redes sociais na noite de ontem, 19 de julho, responsabilizando a gestão pública municipal pelo óbito de um paciente em meados de 2021, por ser atendido por um indivíduo que fingiu ser médico no Hospital Maternidade Etelvina Vieira de Melo. No dia do óbito do paciente em questão, o “falso médico” não se encontrava em unidade hospitalar (declaração de óbito em anexo).

Ao contrário de algumas inverdades expostas em vídeos, o paciente, se submeteu sim à teste para diagnóstico de Covid-19, como consta em boletim de atendimento. Reiteramos que, fomos vítimas da má índole e caráter do indivíduo, assim como, todos os outros municípios em que este atendeu. Este passou pela unidade hospitalar cobrindo plantões de colegas. Repudiamos as informações distorcidas expostas nas mídias, bem como, os veículos de notícias que reproduzem o conteúdo sem consultar os órgãos pertinentes”.

Assista ao segundo episódio do POD&tudo, o podcast da Pais&Filhos