Filha encontra pai pela primeira vez 24 horas após fazer pedido nas redes sociais

Além de encontrá-lo, ela descobriu que possui três irmãos

Resumo da Notícia

  • Mulher conseguiu encontrar o seu pai através das redes sociais
  • Ela não sabia nada sobre ele já que a mãe nunca quis falar sobre o progenitor
  • Patrícia Silva também descobriu que possui três irmãos

No último sábado, 16 de julho, mulher conseguiu encontrar o seu pai, que ela não conhecia, através das redes sociais após 24 da realização da publicação. Ela não sabia nada sobre ele já que a mãe nunca quis falar sobre o progenitor. Além de encontrar o pai, ela também descobriu que possui três irmãos.

-Publicidade-

Patrícia Silva, de 34 anos, não conhecia seu pai até o último final de semana. A mulher não tinha nenhuma notícia sobre ele e sua mãe não falava do assunto, mas isso não fez com que ela desistisse de procurá-lo. Aos 20 anos, ela chegou a procurar o progenitor, mas não teve nenhum resultado durante sua busca. “Minha mãe nunca quis falar sobre o assunto. Não entendo [o motivo de não conhecer o pai], por isso, eu tomei a iniciativa de tentar localizá-lo. Fiz isso por diversas vezes, sem sucesso. Procurei nas redes sociais e em canais de rádio e de TV, mas ninguém me ajudou”, contou ela ao G1.

Por um tempo, ela parou de procurar o pai, mas voltou a buscá-lo há alguns meses. “Eu encontrei um jornal em Bertioga, pedi ajuda e um rapaz que supostamente seria o meu irmão entrou em contato comigo, dizendo que eu estava procurando pelo pai dele. As coisas foram se encaixando. Ele [o irmão] foi muito educado e gentil, e disponibilizou o contato do meu pai. Tudo isso aconteceu em menos de 24 horas após a publicação”, explicou ela, que escreveu sua história em um página do Facebook sobre pessoa desaparecidas.

Após conseguir rapidamente o contato do pai, Patrícia entrou em contato e pela primeira vez falou com ele. No primeiro instante o homem parecia nervoso. “No início da conversa faltaram palavras, foi um pouco estranho”, diz ela. A filha conta que foi uma grande emoção conversar com o pai e descobrir a existência de seus irmãos. Ela afirmou que pretende manter o contato, mas ainda não sabe quando e como irá encontrá-los, já que a filha mora 300 quilômetros do pai – ela vive em Rio Claro, interior de São Paulo, e ele em Bertioga, no litoral do estado. “No momento ainda não tenho condições financeiras, pois moro em Rio Claro [interior de São Paulo]. Dependo do meu marido para me ajudar, tenho um problema na visão. Eu enxergo um pouco com o meu olho esquerdo, mas quase nada com o direito”, conta a filha.

Mesmo com as dificuldades, Patrícia sente que preencheu um vazio ao realizar o sonho de conhecer o pai. “Nunca desista de procurar, mesmo que apareçam dificuldades no caminho. A gente nunca sabe da necessidade da outra pessoa. Vá atrás antes que seja tarde demais”, motiva ela.