Filha junta economias e escreve carta emocionante para ajudar os pais a comprarem casa (e dá certo!)

Uma menina de 10 anos decidiu ajudar os pais a comprar uma casa nova para a família durante a pandemia do novo coronavírus

Resumo da Notícia

  • Uma menina de 10 anos decidiu ajudar os pais a comprar uma casa nova para a família
  • Ela não somente juntou todas as economias, como escreveu uma carta comovente
  • O texto convenceu o proprietário a vender a moradia para a família

Ao ver a angústia dos pais em não conseguir comprar uma casa, uma menina de 10 anos decidiu agir e não somente juntou todas as economias, como escreveu uma carta comovente, que convenceu o proprietário de uma casa a vendê-la para a família.

-Publicidade-

Os pais estavam fazendo de tudo para encontrar uma propriedade dentro do orçamento, sustentar as duas filhas e fazer uma mudança em meio à pandemia, definitivamente tudo isso foi mais do que desafiador.

“Em nossa região, as casas só ficavam no mercado por 8 a 10 dias e as ofertas eram geralmente aceitas na primeira ‘casa aberta’”, explicou a mãe, Bec. Enquanto não encontravam um lar, a família decidiu alugar. “Depois de fazer 10 ofertas e perder todas as vezes, estávamos ficando muito desanimados”, disse.

A família estava tendo dificuldade em comprar a casa (Foto: Reprodução/ Facebook)

Devido à alta imobiliária, encontrar uma casa que eles pudessem pagar parecia impossível. No entanto, depois de várias rejeições, os Touzel encontraram a casa dos seus sonhos. Acontece que ela também estava um pouco fora do orçamento, mas eles decidiram fazer uma oferta depois de falar com o corretor de imóveis.

Com muita empatia, a filha de 10 anos do casal decidiu ajudar, juntou todas as moedas que tinha (totalizando em cerca de R$50,00) e escreveu uma carta comovente. O texto dizia, traduzido para o português: “Querida mamãe e papai, este é o seu dinheiro agora para a casa e outras coisas, se quiserem. Não me devolvam”.

O texto comoveu (Foto: Reprodução/ Facebook)

Emocionada, Bec enviou a carta junto da oferta. E funcionou! Os donos chegaram a receber outras ofertas mais altas, mas não resistiram à cartinha inocente da menina. “Eles disseram que tinham duas filhas e se lembravam de ter procurado seu primeiro lar”, concluiu a mãe, que está vivendo na casa com a família há cerca de 1 mês.