Filha vê mulher morta após procedimento estético e se surpreende: “Não imaginava ser minha mãe”

Brenda Rodrigues assistiu uma mulher convulsionar em entrada de centro comercial, mas não pôde enxergar que era sua mãe por estar longe

Resumo da Notícia

  • Filha viu mulher morta após procedimento estético e se surpreende: "Não imaginava ser minha mãe";
  • Maria Jandimar Rodrigues tinha 38 anos e realizava a segunda sessão de três de lipoaspiração por hidrogel;
  • O médico responsável pelo procedimento tentou fugir após a falha médica.

A empregada doméstica Maria Jandimar Rodrigues, de 38 anos, faleceu na última sexta-feira, 17, após um procedimento estético em uma clínica anexa ao Carioca Shopping, centro comercial localizado em Madureira, no Rio de Janeiro. Segundo informações da Polícia Civil para o jornal OGlobo, a intervenção não chegou a ser iniciada e a paciente morreu “minutos após a anestesia.

-Publicidade-

Maria Jandimar havia comprado três sessões de hidrolipo na clínica, e pagou cerca de 4 mil reais. No dia do ocorrido, a filha Brenda Rodrigues, de 21 anos, estava aguardando a mãe na recepção do centro comercial, e enquanto esperava, a menina observou uma mulher caída na entrada do Carioca Shopping. A mulher em questão era a mãe de Brenda.

Para o jornal OGlobo, a filha de Maria explicou detalhes da cena, já que no momento, a menina não reconheceu que ali estava a sua mãe por estar longe. “A menina da recepção falou que alguém tinha caído passando mal. Eu assisti tudo. Mas pelo fato de estar longe não vi quem era. Fizeram massagem, respiração boca a boca e foi chegando mais gente. Mas não imaginava ser minha mãe”, afirmou.

Maria Jandimar Rodrigues iria realizar uma sessão de hidrogel na barriga
Maria Jandimar Rodrigues iria realizar uma sessão de hidrogel na barriga (Foto: Reprodução OGlobo)

Brenda relembra o momento em que foi chamada por uma recepcionista da clínica para darem a notícia do trágico acidente que levou sua mãe. Ao invés de ir para a sala onde ocorria o procedimento, a mulher foi até os fundos do prédio, e encontrou o médico com malas e um táxi à espera para fugir.

“Um homem passou por mim e eu perguntei se ele era o médico. Ele respondeu que não,que na verdade era um funcionário do prédio. Mas era o médico. Depois, quando eu o confrontei, ele não falou mais nada. Meu mundo acabou ali. É chorar, pedir força a Deus e pedir por Justiça”, desabafou a filha.

Procedimento invasivo

O parceiro de longa data da vítima, o motorista Wagner Vinicius Morais de Carvalho, de 33 anos, contou que Maria Jandimar havia ficado extremamente lesionada após a primeira sessão do procedimento, que aconteceu nas costas. “ Ela passou a semana toda sem condições de se levantar e não foi trabalhar. O recepcionista falou que em três dias ela voltaria ao normal e não iria reclamar de nada. Mas ficou a semana toda reclamando de dores.”

Testemunhas contaram que a vítima chegou a ser colocada dentro do táxi para ser levada a um hospital, mas entrou em convulsão e morreu na calçada da entrada do shopping. O caso foi registrado como “encontro de cadáver” na 27ª DP (Vicente de Carvalho).